Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

domingo, 28 de setembro de 2014

1070 - Nossa história em 2 minutos

Desde o primeiro momento da criação do nosso blog, foram muitos os amigos internautas que deram a sua contribuição para o seu enriquecimento cultural, seja com as suas opiniões, com sugestões de matérias ou indicações e cessões de fotografias e vídeos. Pois foi através de uma boa dica do meu primo Carlos Magno Tolentino Vieira (a quem agradeço), através de e-mail, que tive acesso a este vídeo muito interessante, que mostra uma viagem fotográfica instigante pela história do nosso planeta e da nossa civilização. Em ritmo acelerado, as imagens impactantes mostram desde a criação do planeta até um alerta sobre o nosso futuro, extremamente prejudicado e em situação de perigo pela poluição e degradação inconsequentes.
O vídeo contém imagens extraordinárias da iniciação do nosso planeta, da evolução humana, das incríveis criações artísticas, das inaceitáveis sangrentas guerras, da arte eterna dos Beatles, das conquistas sociais, da conquista do espaço, das irracionais ações terroristas, da poluição desenfreada que pode destruir a vida de todo o nosso planeta Terra.
É um alerta vigoroso pela mudança de visão urgente em prol do planeta em que os nossos descendentes irão viver no futuro. Para refletir, e muito! E agir, rápido!
Um grande abraço espinosense.

1069 - Cidades de nomes bem interessantes

Pode parecer estranho, mas tenho uma curiosidade grande sobre a origem dos nomes das cidades brasileiras. Fico satisfeito quando descubro nomes tão diferentes, esdrúxulos ou deveras engraçado de algumas cidades e as suas respectivas explicações de origem. Então, vou compartilhar com vocês algumas desses nomes interessantíssimos de cidades deste nosso imenso Brasil. Vamos lá!

PUGMIL (Tocantins) - Cidade localizada às margens da Rodovia BR 153, com uma população de 2.369 habitantes (Censo de 2010). Em 26 de maio de 1994, ocorreu a emancipação do município, que pertencia à Paraíso do Tocantins. O estranho nome da cidade se originou de uma marca de máquina estrangeira de moer cascalho utilizada nos anos 70 no município. 
Gentílico: pugmilense.


BADY BASSITT (São Paulo) - Cidade paulista com uma população de 14.603 habitantes (Censo 2010) fundada por Antônio Manuel da Silva. Depois de ser a Vila de Borboleta, que tornou-se distrito de São José do Rio Preto pela lei 2.171, de 12 de dezembro de 1926, o município se emancipou com o nome de Borboleta em 18 de fevereiro de 1959, através da lei 5.285. 
O primeiro prefeito foi João Matheus Teles de Menezes. Pela lei 8.050, de 28 de fevereiro de 1964, ele alterou o nome da cidade para Bady Bassitt, em homenagem póstuma ao deputado estadual representante da região de São José do Rio Preto.
Gentílico: bassitense.


SUD MENNUCCI (São Paulo) - Cidade paulista que fica a uma distância de 627 quilômetros da capital do estado, com uma população de 7.435 habitantes (Censo 2010). O nome de Sud Mennucci homenageia o educador, geógrafo, sociólogo, jornalista e escritor brasileiro que foi defensor ferrenho dos direitos dos professores paulistas e da melhoria da qualidade de ensino do país. Foi um árduo defensor do Ensino Rural no Brasil. O município de Sud Mennucci é pioneiro no Brasil no fornecimento de acesso wi-fi gratuito para a população.
Gentílico: sud-menucciano.


AFOGADOS DA INGAZEIRA (Pernambuco) - Localizada às margens do Rio Pajeú, a cidade ganhou o seu nome devido ao fato de haver pertencido à cidade de Ingazeira e de ter sido palco do afogamento de um casal recém-casado no rio, após a celebração religiosa realizada pelo padre José Antônio Ibiapina por volta de 1840. Está situada a 386 km de distância da capital, Recife, e possui 35.088 habitantes (Censo 2010). 
Gentílico: afogadense.


FELIZ NATAL (Mato Grosso) - Cidade de 10.933 habitantes (Censo de 2010) localizada a 511 km de Cuiabá.  O curioso nome da cidade vem de uma história surreal. Contam que, em um dia de Natal, alguns trabalhadores ficaram ilhados na região, devido às fortes chuvas e ao transbordamento do rio que os impediu de voltar para casa. Assim, ali mesmo passaram a noite e se confraternizaram entre si, registrando em uma árvore a saudação "Feliz Natal". Essa história acabou se alastrando pela região e acabou dando nome à cidade.
Gentílico: feliz-natalense.


NOVA IORQUE (Maranhão) - Cidade fundada pelo americano Eduardo Burnet, que por aquela região chegou e se iniciou no ramo do comércio. No início tinha o nome de Vila Nova. Com a chegada do progresso, o fundador resolveu por bem homenagear a sua terra natal e batizou a vila de Nova Iorque. Conta a história que a então vila foi invadida pela Coluna Prestes no ano de 1925 e no ano seguinte, 1926, ocorreu uma grande inundação do Rio Parnaíba, o que provocou a mudança da população para local mais alto e seguro. Pelo decreto lei nº 45, de 29 de março de 1938, a vila passou à categoria de cidade. Com a construção da Barragem de Boa Esperança, em 1968, a cidade foi totalmente tomada pelas águas da represa. Com recursos do Governo Federal, construiu-se uma nova sede, em local distante, totalmente planejada e que se constitui em modelo de cidade de pequeno porte. Hoje a cidade conta com 4.590 habitantes (Censo de 2010).
Gentílico: nova-iorquino. 


JIJOCA DE JERICOACOARA (Ceará) - Jijoca de Jericoacoara é o município mais setentrional do estado brasileiro do Ceará, que tem como atração natural principal a Praia de Jericoacoara.  O seu nome vem do significado de ji como morada das rãs (do tupi ji: rã, jia) e oca (casa), e considera Jericoacoara como a toca das tartarugas (de yurucuá ou yuruqué: tartaruga; e quara ou coara: buraco, toca). Em 1991, por força da lei nº 11.796, Jijoca, distrito de Cruz, tornou-se município autônomo, anexando ao seu território a praia de Jericoacoara e passando a denominar-se Jijoca de Jericoacoara. A principal atividade econômica é o turismo e está centralizado na localidade de Jericoacoara. Há agricultura de subsistência de feijão, milho, mandioca, algodão, castanha de caju e coco. Na pecuária extensiva sobressaem a criação de bovinos, suínos e aves. A pesca é praticada em barcos e jangadas, ao longo da faixa costeira, atendendo o mercador consumidor do próprio município, dos estados vizinhos e do exterior. Por ter sido declarada uma Área de Proteção Ambiental (APA) e, desde 2002, transformada em PARNA (Parque Nacional), a construção de rodovias e estradas - bem como qualquer tipo de pavimentação - é proibida em Jericoacoara. Conforme o 
Censo do IBGE 2010, a cidade possui 17.002 habitantes.
Gentílico: jijoquense.


COITÉ DO NOIA (Alagoas) - Município localizado na região central de Alagoas. Sua população é de 10.926 habitantes (Censo 2010). Coité do Noia foi elevado à categoria de município pela lei estadual nº 2.616, de 21 de setembro de 1963. O primeiro morador da região foi o Sr Manoel Severiano de Carvalho Noia, daí a origem do nome. Coité é uma árvore da família das bignoniáceas (Crescentia cujete), de cujos frutos se fazem cuias e cabaças.
Gentílico: coitéense.


GIRAU DO PONCIANO (Alagoas) -  Município brasileiro localizado na região central do estado de Alagoas. Sua população é de 36.600 habitantes  (Censo de 2010). Girau do Ponciano, antigamente denominado Belo Horizonte ou Ponciano, figurou como distrito no município de Traipu até a lei estadual nº 2.101, de 15 de julho de 1958, que elevou o distrito à categoria de município sendo instalado em 1º de janeiro de 1959. O povoamento de Girau do Ponciano se deve a um caçador de nome Ponciano que, acompanhado de dois companheiros, instalou um girau para suas caçadas, aproveitando a caça abundante. Assim se fundou a primeira propriedade que mais tarde se tornou cidade.
Gentílico: girauense.


JAPONVAR (Minas Gerais) - Sua população no Censo de 2010 era de 8.298 habitantes. O interessante nome Japonvar se origina do fato de a localidade ter surgido como um simples entroncamento de três estradas rústicas que levavam, respectivamente, a Januária, São João da Ponte e Varzelândia. Das iniciais dos nomes dessas três cidades, criou-se o nome da nova cidade norte-mineira.
Gentílico: japonvarense.


PORCIÚNCULA (Rio de Janeiro) - Município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localizado a 190 metros de altitude, conta com uma população de 17.760 habitantes (2010). Seu nome homenageia José Tomás de Porciúncula, primeiro governador do Estado do Rio de Janeiro eleito no período republicano.
Gentílico: porciunculense.


SÃO MIGUEL DO GOSTOSO (Rio Grande do Norte) - Cidade com 8.670 habitantes (Censo 2010). O primeiro nome homenageia o santo padroeiro, depois que o Sr. Miguel Félix Martins, um dos primeiros moradores da comunidade, inaugurou uma igreja em pagamento a uma promessa feita a São Miguel. O nome de Gostoso vem da história de um vendedor ambulante morador da localidade que era um exímio contador de estórias, sempre acompanhadas de uma risada extremamente gostosa e contagiante. Devido à sua risada característica, o vendedor ficou conhecido por Seu Gostoso e assim o nome se juntou ao do santo e passou a denominar o novo povoamento. Em 1993, quando a cidade se emancipou do município vizinho (Touros), os habitantes participaram do plebiscito para escolher o nome da cidade e acabaram batizando-a de São Miguel do Gostoso.
Gentílico: gostosense.


THEOBROMA (Rondônia) - O município de Theobroma, originou-se como Núcleo Urbano de Apoio Rural (NUAR) do projeto de colonização Padre Adolpho Rohl. O seu nome é uma homenagem ao cacau, cuja denominação científica é Theobroma. O município foi criado pela lei nº 371/92 de 13 de fevereiro de 1992, tendo sido desmembrado do município de Jaru. Possui 10.649 habitantes, conforme o Censo de 2010.
Gentílico: theobromense. 


BRAÇO DO TROMBUDO (Santa Catarina) - Município brasileiro do estado de Santa Catarina, com 3.457 habitantes, de acordo com o Censo 2010. O nome Trombudo originou-se do fato de que na região existiam muitas antas, cujas trombas, associadas ao formato do leito do rio que corta a cidade que, em suas descidas, formavam imensas trombas. O município foi emancipado através da Lei Estadual nº 8.355, de 26 de setembro de 1991, e sua instalação oficial deu-se em 1º de janeiro de 1993.
Gentílico: braço trombudense.


WITMARSUM (Santa Catarina) - O fim da Primeira Guerra Mundial contribuiu para a colonização do município de Witmarsum. A companhia colonizadora trouxe soldados alemães que buscavam um novo lar, distante da Alemanha em crise. Em 1924, um grupo deles estabeleceu-se no interior do distrito de Hamônia (atual Ibirama), batizando o lugar de "Nova África" porque os soldados haviam combatido no continente africano. Em 1930, imigrantes alemães menonitas se estabeleceram na região e batizaram a região de "Witmarsum", terra natal de Menno Simons. Alguns alegam que o nome significa "Estrela Azul". Através da Resolução Municipal nº 7, de 24-04-1957, criou-se o distrito de Witmarsum. Homologada pela Assembléia Legislativa do estado de Santa Catarina, Lei nº 305 de 16-09-1957. Witmarsum foi promulgado município em 17-05-1962 através da Lei nº 826. Sua instalação ocorreu em 15-06-1962.A cidade conta com 3.600 habitantes, conforme o Censo do IBGE em 2010.
Gentílico: witmarsumense.


TOMAR DO GERU (Sergipe) - Tomar do Geru é um município brasileiro do estado de Sergipe. Sua população no Censo 2010 era de 12.855 habitantes. Padres jesuítas chegaram às terras que hoje são de Tomar do Geru, vindos da cidade portuguesa chamada Tomar e encontraram no território um grupo de índios Kiriris, vindos do sertão de Jacobina e do Rio São Francisco. Os índios formavam um grupo social pouco complexo que vivia da caça, pesca, agricultura e coleta de frutos. A aldeia era conhecida como Juru ou Geruaçu, que em tupi significa boca ou entrada, e que mais tarde viria a se chamar Geru. Elevado à categoria de município com a denominação de Geru, pela lei estadual nº 525-A, de 25-11-1953, desmembrado de Itabaianinha, com sede no antigo distrito de Geru. Pela lei estadual nº 524, de 06-02-1954, o município de Geru passou a denominar-se Tomar do Geru. 
Gentílico: geruense.


CAPIXABA (Acre) - Com a falência dos seringais nativos, aos poucos começaram a surgir aglomerações de ex-seringueiros que posteriormente transformaram-se em vilas. O atual município de Capixaba nasceu assim. A vila formou-se no antigo Seringal Gavião, de propriedade do Sr. João Sombra. Daí, seu primeiro nome, Vila Gavião. Com a implantação da Escola Estadual Argentina Pereira Feitosa, fundada pelo professor José Clóvis Raulino por volta de 1962 e de uma igreja católica, começou a surgir a pequena Vila Gavião, que era habitada principalmente por ex-seringueiros. 
Por volta da década de 70, começou a migração de pessoas advindas principalmente do sul do país, pois se iniciara no Acre, com o incentivo do governo estadual, a implantação de grandes fazendas (latifúndios) de criação de gado, pois o governo acreditava que a pecuária traria o tão sonhado desenvolvimento para o Estado. Então, na onda de migração rumo ao Acre, na Vila Gavião chegou uma família vinda do Espírito Santo, que trouxera na bagagem uma pequena serraria manual conhecida como pica-pau e se instalou na Vila ou km 47 como também era conhecida. A partir daí, todos que queriam ir ao km 47 ou na Vila Gavião, tinham como ponto de referência a serraria do capixaba. 
Com o passar do tempo todos começaram a chamar a antiga vila de Vila Capixaba. Entretanto, foi organizada uma votação entre a população para decidir o nome da vila, e o mais curioso ficou por conta das cédulas de votação: quem queria Vila Santo Antônio, votava colocando na urna um caroço de milho. Quem queria Vila Capixaba, votava colocando na urna um caroço de feijão. Assim ao final da votação, após a contagem das cédulas, ganhou o feijão e o nome de Vila Capixaba.  Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Capixaba, pela Lei Estadual n.º 1.027, de 28-04-1992, alterado em seus limites pela Lei Estadual n.º 1.062, de 09-12-1992, desmembrado de Rio Branco e Xapuri. A cidade tem, conforme o Censo 2010, 8.798 habitantes.
Gentílico: capixabense.


QUEBRANGULO (Alagoas) - Município situado na parte norte de Alagoas, faz parte da microrregião de Palmeira dos Índios, antigamente denominada de "Zona da Mata". Quebrangulo é toda entrecortada por pontes sobre os rios Paraíba do Meio e o Quebrangulinho, que dão um aspecto agradável a todos que a visitam. Por possuir várias pontes cortando o centro do município, denominaram-na de "Veneza Alagoana". É terra natal do escritor Graciliano Ramos; do operário Manuel Fiel Filho, metalúrgico brasileiro morto por tortura durante a ditadura militar e do famoso e temido Natalício Tenório Cavalcanti de Albuquerque, político conhecido como "O Homem da Capa Preta". 
Dista da capital, por estrada de rodagem, 115 quilômetros e por estrada de ferro 135 quilômetros. Quebrangulo situa-se na "zona da pecuária". Seu criatório de gado bovino é grandioso, servindo inclusive para exportar carne para a capital e estados vizinhos.
O local onde se levantou a povoação foi primitivamente habitado pelos índios Chucurus, que vieram formar aldeia nas proximidade da serra de Palmeira dos Índios, já encontrados aí estabelecidos os Cariris, emigrados de Pernambuco, em consequência da seca que assolou os sertões no ano de 1740.
Dizem outros, que alí houve antigamente um quilombo de pretos fugitivos. Viviam, eles, de nozes de palmeira e principalmente da caça de caititus, que em manadas, pastavam no próprio local onde hoje é a cidade. Sendo o chefe desse quilombo um excelente caçador, chamavam-no Quebrangulo, que na gíria dos negros significava matador de porcos.  
Distrito criado com a denominação de Quebrangulo, pela lei provincial nº 301, de 13-06-1856. Elevado à categoria de vila com denominação de Quebrangulo, pela lei provincial nº 624, de 16-03-1872, desmembrado de Viçosa (ex-Assembléia). Instalado em 05-09-1872. Pelo decreto estadual nº 4, de 20-02-1890, a vila é extinta, sendo seu território anexado ao município de Assembléia.
Elevado novamente à categoria de vila com denominação de Vitória, pelo decreto estadual nº 47, de 27-09-1890, desmembrado de Assembléia. Elevado à categoria de cidade com a denominação de Vitória, pela lei estadual nº 593, de 06-06-1910. Pela lei estadual nº 1139, de 20-06-1928, voltou a denominar-se Quebrangulo. Sua população no Censo 2010 é de 11.480 habitantes.
Gentílico: quebrangulense.


FELIZ DESERTO (Alagoas) - Feliz Deserto era originalmente um aldeamento de índios caetés. Foi colonizada a partir do naufrágio e estabelecimento do holandês Domingos Mendes, que lhe deu o topônimo por achar que, mesmo sendo o lugar deserto, representava a felicidade de ter sido encontrado. Desmembrado de Piaçabuçu, o município adquiriu autonomia em 23 de julho de 1960. Conta com uma população de 4.345 habitantes de acordo com o Censo 2010.
Gentílico: feliz-desertense.


JACARÉ DOS HOMENS (Alagoas) - Município brasileiro com 5.413 habitantes (Censo 2010). O seu povoamento iniciou-se por volta de 1900, quando a fazenda São Francisco, de Domingos de Freitas Mourão, começou a receber impulso, conhecendo uma etapa de grande progresso. Muitas casas foram construídas formando ali um aglomerado humano de grandes proporções que, em pouco tempo, apresentava as características de uma pequena vila. Nessa época foi encontrado um jacaré no riacho que passava próximo ao lugarejo. Por ser um animal raro na região, o local ficou sendo conhecido como "Jacaré" e assim permaneceu durante muito tempo. Foi-lhe acrescentado mais tarde "dos Homens", em virtude de uns comerciantes de Penedo, conhecidos como Peixotos, que negociavam na região, afirmarem constantemente que Jacaré era terra de comerciantes honestos, sinceros e leais. 
Em 17 de setembro de 1949, Jacaré dos Homens foi elevada à condição de vila, por força da Lei nº 1.473. Alcançou a sua autonomia administrativa através da Lei nº 2.073, de 9 de novembro de 1957, sendo o município instalado oficialmente a 1º de janeiro de 1959, desmembrado do território de Pão de Açúcar. A pecuária representa a principal fonte de divisas para o município, que está integrado na chamada Bacia Leiteira. Um dos principais atrativos de Jacaré dos Homens está no símbolo maior da cidade, o jacaré. Na praça central da cidade há um fosso com três pequenos espécimes, originais da própria região, e motivo de curiosidade principalmente para crianças. 
Gentílico: jacaréense ou jacarezeiro.


Fontes: wikipedia.org, ibge.gov.br e vários outros sites das cidades citadas.
Um grande abraço espinosense.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

1068 - Uma viagem sem volta do trem?

Dias atrás recebi um e-mail do internauta Warley Gonçalves me presenteando com uma antiga fotografia de Espinosa que mostra a ponte ferroviária construída ali bem próxima da Rua Santa Terezinha. A foto foi estampada em uma reportagem do jornal Estado de Minas de 27 de julho de 2013, que noticiava a construção de uma nova ferrovia no trecho entre Belo Horizonte e Candeias (BA), próximo a Salvador, totalizando 1.420 quilômetros e um custo de R$ 10,5 bilhões, com início da obra prevista para janeiro de 2015. A linha férrea passará por 52 municípios, sendo 27 em Minas e 25 na Bahia. O projeto ainda prevê a construção de pátios de manutenção a cada 300 quilômetros. 
A reportagem dava conta de que o prazo para a construção seria de três anos e oito meses e haveria o aproveitamento de somente 35% da malha ferroviária atual existente entre Minas e a Bahia. No novo traçado, a ferrovia seria retirada de áreas urbanas de Montes Claros e outras cidades do Norte de Minas. Isso quer dizer que não veremos mais no futuro o tão conhecido trem de carga passando por nossa cidade, o que nos causa imensa tristeza e já começa a deixar saudades. O seu apito e o seu tradicional barulho das rodas nos trilhos, percorrendo o "corte", já se tornou corriqueiro no cotidiano dos moradores de Espinosa e certamente vai fazer muita falta. Tomara que não aconteça.
Agradecimentos ao Warley Gonçalves pela contribuição.
Um grande abraço espinosense.


Aqui outras imagens da linha férrea em Espinosa que poderão desaparecer em breve, infelizmente.















1067 - Maravilhas da Natureza: as profundezas dos mares

As mais espetaculares e interessantes formas de vida existentes no fundo do mar estão presentes neste vídeo, em um show de imagens que nos deixam boquiabertos com tamanha beleza da Natureza. São milhares de formas diferentes e extraordinárias de vida, em um ambiente de cores deslumbrantes que nos fazem refletir sobre a nossa pequenez e insignificância neste vasto mundo e a certeza da existência de Deus. Para se encantar e refletir.
Um grande abraço espinosense.

1066 - Dados do IDH - Índice de Desenvolvimento Humano

Números nem sempre mostram a realidade das coisas. Mas em determinadas situações eles são importantes para mensurar mudanças estruturais no desenvolvimento de um país. Assim merecem atenção os dados do Índice de Desenvolvimento Humano do PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. 
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) é a rede de desenvolvimento global da Organização das Nações Unidas. O PNUD faz parcerias com pessoas em todas as instâncias da sociedade para ajudar na construção de nações que possam resistir a crises, sustentando e conduzindo um crescimento capaz de melhorar a qualidade de vida para todos. Presente em mais de 170 países e territórios, o PNUD oferece uma perspectiva global aliada à visão local do desenvolvimento humano para contribuir com o empoderamento de vidas e com a construção de nações mais fortes e resilientes.
Em 2000, os líderes mundiais assumiram o compromisso de alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, um conjunto de oito metas cujo objetivo é tornar o mundo um lugar mais justo, solidário e melhor para se viver, incluindo o objetivo maior de reduzir a pobreza extrema pela metade até 2015. O PNUD trabalha mundialmente para ajudar e coordenar os esforços de cada país no alcance desses objetivos, focando-se nos seguintes desafios:
  • Governança Democrática
  • Redução da Pobreza
  • Prevenção de Crises e Recuperação
  • Energia e Meio Ambiente/Desenvolvimento Sustentável
  • HIV/Aids
Em 1990, o PNUD introduziu universalmente o conceito de Desenvolvimento Humano, que parte do pressuposto de que para aferir o avanço na qualidade de vida de uma população é preciso ir além do viés puramente econômico e considerar três dimensões básicas: renda, saúde e educação. Esse conceito é a base do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e do Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH), publicado anualmente pelo PNUD.
O conceito de desenvolvimento humano nasceu definido como um processo de ampliação das escolhas das pessoas para que elas tenham capacidades e oportunidades para serem aquilo que desejam ser.
Diferentemente da perspectiva do crescimento econômico, que vê o bem-estar de uma sociedade apenas pelos recursos ou pela renda que ela pode gerar, a abordagem de desenvolvimento humano procura olhar diretamente para as pessoas, suas oportunidades e capacidades. A renda é importante, mas como um dos meios do desenvolvimento e não como seu fim. É uma mudança de perspectiva: com o desenvolvimento humano, o foco é transferido do crescimento econômico, ou da renda, para o ser humano.
O objetivo da criação do Índice de Desenvolvimento Humano foi o de oferecer um contraponto a outro indicador muito utilizado, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, que considera apenas a dimensão econômica do desenvolvimento. Criado por Mahbub ul Haq com a colaboração do economista indiano Amartya Sen, ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 1998, o IDH pretende ser uma medida geral, sintética, do desenvolvimento humano. Apesar de ampliar a perspectiva sobre o desenvolvimento humano, o IDH não abrange todos os aspectos de desenvolvimento e não é uma representação da "felicidade" das pessoas, nem indica "o melhor lugar no mundo para se viver". Democracia, participação, equidade, sustentabilidade são outros dos muitos aspectos do desenvolvimento humano que não são contemplados no IDH. O IDH tem o grande mérito de sintetizar a compreensão do tema e ampliar e fomentar o debate.
Fonte: pnud.org.br


Entre os 5.565 municípios brasileiros, os piores colocados no IDH são:
Ano de 1991                                                Ano de 2010
Caraúbas do Piauí (PI) - 0,120                    Melgaço (PA) - 0,418
Capitão Gervásio Oliveira (PI) - 0,121       Fernando Falcão (MA) - 0,443    
Feira Nova do Maranhão (MA) - 0,123     Atalaia do Norte (AM) - 0,450
Joca Marques (PI) - 0,125                          Marajá do Sena (MA) - 0,452                      
Juazeiro do Piauí (PI) - 0,127                     Uiramutã (RR) - 0,453

Os melhores no IDH são:
Ano de 1991                                                Ano de 2010
São Caetano do Sul (SP) - 0,697                 São Caetano do Sul (SP) - 0,862
Santos (SP) - 0,689                                      Águas de São Pedro (SP) - 0,854
Florianópolis (SC) - 0,681                           Florianópolis (SC) - 0,847
Niterói (RJ) - 0,681                                     Balneário Camboriú (SC) - 0,845
Porto Alegre (RS) - 0,660                           Vitória (ES) - 0,845


Vejam as posições de algumas cidades da nossa região:
Cidade
Em 1991
IDH
Em 2010
IDH
Montes Claros
590
0,514
227
0,770
Janaúba
1978
0,429
2028
0,696
Vitória da Conquista
2323
0,409
2481
0,678
Guanambi
2252
0,413
2598
0,673
Mato Verde
3260
0,351
2846
0,662
Monte Azul
3217
0,354
2924
0,659
Porteirinha
3895
0,314
3090
0,651
Gameleiras
4272
0,293
3115
0,650
Nova Porteirinha
3653
0,327
3275
0,641
Espinosa
3277
0,350
3534
0,627
Mamonas
5078
0,241
3735
0,618
Sebastião Laranjeiras
3430
0,340
3796
0,615
Pindaí
3766
0,321
4081
0,603
Urandi
3619
0,329
4198
0,598
Jacaraci
4161
0,299
4309
0,593

Percebam a melhoria na pontuação das cidades, Espinosa em especial.

Evolução do IDH no mundo:
Posição
Países
1980
1990
2000
2005
2007
2010
2011
2012
Noruega
0,804
0,852
0,922
0,948
0,952
0,952
0,953
0,955
Austrália
0,857
0,880
0,914
0,927
0,931
0,935
0,936
0,938
Estados Unidos
0,843
0,878
0,907
0,923
0,929
0,934
0,936
0,937
Holanda
0,799
0,842
0,891
0,899
0,911
0,919
0,921
0,921
Alemanha
0,738
0,803
0,870
0,901
0,907
0,916
0,919
0,920
85º
Brasil
0,522
0,590
0,669
0,699
0,710
0,726
0,728
0,730

Percebam o quanto ainda temos que melhorar em relação aos países desenvolvidos, sempre lembrando que somos um país jovem em comparação com os nossos irmãos europeus.
Para maiores informações, acesse http://www.pnud.org.br/arquivos/idhm-brasileiro-atlas-2013.pdf.
Um grande abraço espinosense.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

1065 - Novidades do grande Alceu Valença

Atualmente é assim. Se você quiser encontrar música boa, de qualidade, você tem que escarafunchar a Internet inteira à procura de novos lançamentos, pois se depender da nossa mídia estamos perdidos. Há algum tempo atrás, ficávamos sabendo das novas músicas dos grandes cantores e compositores através das rádios. Como hoje o sistema está completamente tomado pelo famoso "jabá", não há mais espaço para os artistas de menor apelo comercial. Então, infelizmente, somos bombardeados diariamente com as mais esdrúxulas composições, com suas letras ridículas e seus acordes paupérrimos, entre funks, axés e assemelhados. Ainda bem que existe o rico universo da Internet que nos proporciona a descoberta, mesmo com um pequeno atraso, de joias da música brasileira como o lançamento de mais um disco do grande artista pernambucano Alceu Valença, desta vez um trabalho dedicado exclusivamente às tradicionais músicas de carnaval.


Alceu, que nasceu em São Bento do Una, interior de Pernambuco, mudou-se para a cidade do Recife aos 10 anos e foi completamente influenciado pela magia dos carnavais pernambucanos, em especial pelos blocos que passavam em frente da casa em que morava, na Rua Palmares. 
O álbum intitulado "Amigo da Arte" (Deck Discos) foi lançado no início do ano e contém frevos antológicos, maracatus, cirandas e caboclinhos, numa mostra maravilhosa da enorme diversidade de manifestações musicais do Recife. A belíssima capa, desenhada pela pintora Marisa Lacerda, reproduz o convite de casamento de Alceu Valença com Yanê Montenegro.
Escutando o disco, não pude conter as lembranças maravilhosas dos carnavais de Espinosa, quando éramos embalados com tamanha felicidade pela competente banda "Os Cardeais". Ê tempo bom, sô!
Um grande abraço espinosense.


Músicas do disco:
1 - Olinda (4:12)
2 - Frevo da Lua (3:45)
3 - Frevo Dengoso (3:45)
4 - O Homem da Meia-Noite (3:39)
5 - Nas Asas de um Passarinho (4:23)
6 - Amigo da Arte (3:45)
7 - Maracatu (4:04)
8 - Sou Eu Teu Amor (2:53)
9 - Recife (3:44)
10 - Ciranda da Aliança (4:01)
11 - Pirata José (3:14)
12 - Voltei Recife (2:43)
13 - Sonho de Valsa (2:50)


Recife

Ô ô saudade, saudade tão grande
Saudade que eu sinto
Do Clube das Pás, dos Vassouras
Passistas traçando tesouras
Nas ruas repletas de lá

Batidas de bombos
São maracatus retardados
Que chegam à cidade, cansados,
Com seus estandartes no ar.

Que adianta se o Recife está longe
E a saudade é tão grande
Que eu até me embaraço

Parece que vejo
Valfrido Cebola no passo
Haroldo Fatias, Colaço
Recife está dentro de mim.


Alceu Valença lançou também neste ano o CD e DVD ao vivo "Valencianas", pela Deck Discos, com a apresentação dos seus maiores sucessos em arranjos orquestrais , entre eles "La Belle de Jour", "Girassol", "Tropicana", "Anunciação" e "Porto da Saudade". Gravado no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, com produção de Paulo Rogério Lage, o show contou com a participação da Orquestra de Ouro Preto, regida pelo maestro Rodrigo Toffolo.

1064 - Cuidem-se, jovens! Fiquem vivos!

A Semana Nacional de Trânsito em 2014 está sendo comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, com a finalidade de conscientizar a sociedade, com vistas à internalização de valores que contribuam para a criação de um ambiente favorável ao atendimento de seu compromisso com a "valorização da vida" focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir o direito de ir e vir dos cidadãos. A campanha terá uma abrangência nacional e mostrará a mudança de postura de toda a sociedade no esforço para a redução de acidentes. (denatran.gov.br)


Eu sei que muita gente não vai gostar do que eu direi aqui, mas é preciso falar sobre isso, mesmo que incomode a muitos. O vídeo que estou compartilhando logo abaixo é antigo, mas super atual. São cenas fortes de acidentes de automóveis (fictícias) causados por motoristas embriagados. Temos que nos conscientizar de que beber e dirigir não é o correto. Principalmente quando se vai viajar, trafegando em rodovias movimentadas, efetivamente não podemos fazê-lo depois de ingerir bebida alcoólica. O risco de causar um acidente é muito grande e a possibilidade de nos machucar ou machucar gravemente alguém é enorme. Isso quando não acontece uma tragédia de proporções enormes que leva à perda de tão valiosas vidas humanas. Eu não sou hipócrita e sei que é quase impossível, principalmente nas cidades pequenas, evitar que as pessoas dirijam após beber uma cervejinha na happy hour em um barzinho, ou em uma festa qualquer ou depois daquela peladinha de futebol. Quase todo mundo faz isso, eu inclusive, às vezes. É completamente errado, mas é a realidade. É muito difícil mudar esse quadro. Então, se é quase impossível evitar, que pelo menos evitem dirigir quando beber muito. Se bebeu um pouquinho e vai percorrer distâncias pequenas, dentro da cidade, não se deixe entusiasmar e procure trafegar bem devagar e com o maior cuidado, seguindo à risca as leis do trânsito. Nada é mais importante que a nossa vida, o maior presente que Deus nos deu.
Temos que ter em mente, entretanto, que nem só por causa da ingestão de bebidas alcoólicas acontecem essas tragédias. O entusiasmo, a imaturidade, a sensação libertadora da velocidade, a vontade de se afirmar perante os colegas, tudo isso funciona como um estopim para a possibilidade de uma ocorrência fatal e de proporções arrasadoras. 
Eu sei o tamanho da dor da perda de um ente querido, vitimado por acidente de trânsito. Perdi meu filho Ricardo em um acidente há pouco tempo. Perdi também Andrezinho, nosso amigo que estava com ele. Perdi meu grande amigo Izaías Mariano Mendes (Zazá) da mesma maneira. E Fernando Gomes Franca, amigo e colega de banco. E José Leão Pereira (Deca), outro prezado amigo. E tantos meninos de Espinosa que se foram cedo demais, desta mesma trágica situação, como Tulu, Daniella, Diógenes e quantos outros mais. Perdas irreparáveis.
Por isso, meus amigos, jovens e velhos, cuidem-se! Tenham bastante cuidado. Andem com responsabilidade. Não se entusiasmem demais com a velocidade, com a adrenalina, com a sensação de poder tudo, de ser imortal. Cuidado! Pensem em vocês, nas suas vidas tão frágeis, nos seus pais, nos seus filhos, nos seus familiares, nos seus amigos. Pensem na dor, na tremenda e interminável dor da perda de um ente querido e cuidem-se, pelo amor de Deus! Queremos vocês vivos e em plena saúde para viver em paz e em completa harmonia com os seus. Espero que as fortes imagens deste vídeo possam lhes tocar a mente e o coração e os façam refletir minuciosamente sobre o assunto.
Um grande abraço espinosense.  

Aqui vão algumas dicas para os pedestres, pois mesmos os motoristas, motociclistas e ciclistas também são, em algum momento, pedestres:

  • Atravesse sempre na faixa de pedestres;
  • Utilize as passarelas quando precisar atravessar grandes avenidas ou rodovias;
  • Não abra a porta ou desça de um carro sem primeiro olhar se estão passando pedestres ou veículos;
  • Não atravesse uma via se o sinal estiver aberto para os carros;
  • Não passe correndo na frente de uma garagem. O motorista pode não estar vendo você;
  • Não caminhe acessando a Internet ou o conteúdo do seu celular;
  • Respeite a sinalização para o pedestre;
  • Quando houver semáforo para pedestre, respeite-o;
  • Sempre olhe para os dois sentidos da via antes de atravessar;
  • Em dias de chuva, redobre sua atenção;
  • Não confie somente na sinalização. Mesmo com o semáforo verde para pedestre é necessário atenção;
  • Respeite as ciclovias ou ciclo faixas. Esses lugares são exclusivos para ciclistas.

1063 - Um raio X do Congresso Nacional

Estamos em ano de eleições e mais do que nunca é imprescindível escolher bons candidatos agora para não ficar reclamando depois. Muito do que é decidido no nosso país, entre leis importantes e mudanças estruturais na economia, na educação, na saúde, na infraestrutura e que impactam a vida de todos os brasileiros, dependem das opiniões e conceitos defendidos pelos políticos eleitos por cada um de nós. Assim é importante que saibamos refletir e decidir pelos melhores representantes para que assuntos de suma importância sejam defendidos em nome da maioria do povo brasileiro.
Muita gente sequer sabe o número de deputados e senadores que compõem o Congresso Nacional. Para esclarecer a composição de um dos três poderes da República, vamos acessar alguns dados:
Conforme a wikipedia, o Congresso Nacional é o órgão constitucional que exerce, no âmbito federal, as funções do Poder Legislativo, quais sejam, elaborar/aprovar leis e fiscalizar o Estado Brasileiro (suas duas funções típicas), bem como administrar e julgar (funções atípicas).
O Congresso Nacional é bicameral, sendo composto por duas Casas: o Senado Federal, integrado por 81 senadores, que representam as 27 unidades federativas (26 estados e o Distrito Federal), e a Câmara dos Deputados, integrada por 513 deputados federais, que representam o povo.
Assim sendo, no Senado Federal, todos os Estados (e o Distrito Federal) têm o mesmo número de representantes (três senadores), independentemente do tamanho de suas populações; já na Câmara dos Deputados, o número de representantes de cada Unidade Federativa varia conforme o tamanho da sua população (Estados mais populosos, como São Paulo, chegam a eleger 70 deputados, ao passo que os menores, como o Acre, elegem 8).
O atual Presidente do Senado é o Sr. Renan Calheiros, do PMDB. O atual Presidente da Câmara dos Deputados é o Sr. Henrique Eduardo Alves, também do PMDB.




Na Câmara de Deputados são 513 integrantes eleitos, assim distribuídos, por partido:
PT - Partido dos Trabalhadores - 88 deputados
PMDB - Partido do Movimento Democrático Brasileiro - 73 deputados
Outros partidos menores - 49 deputados
PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira - 44 deputados
PSD - Partido Social Democrata - 44 deputados
PP - Partido Progressista - 40 deputados
PR - Partido da República - 32 deputados
DEM - Democratas - 28 deputados
PSB - Partido Socialista Brasileiro - 24 deputados
SD - Solidariedade - 21 deputados
PROS - Partido Republicano da Ordem Social - 20 deputados
PDT - Partido Democrático Trabalhista - 18 deputados
PTB - Partido Trabalhista Brasileiro - 17 deputados
PCdoB - Partido Comunista do Brasil - 15 deputados

São Paulo - 70 deputados
Minas Gerais - 53 deputados
Rio de Janeiro - 46 deputados
Bahia - 39 deputados
Rio Grande do Sul - 31 deputados
Paraná - 30 deputados
Pernambuco - 25 deputados
Ceará - 22 deputados
Maranhão - 18 deputados
Goiás - 17 deputados
Pará - 17 deputados
Santa Catarina - 16 deputados
Paraíba - 12 deputados
Espírito Santo - 10 deputados
Piauí - 10 deputados
Alagoas - 9 deputados
Acre - 8 deputados
Amazonas - 8 deputados
Amapá - 8 deputados
Distrito Federal - 8 deputados
Mato Grosso - 8 deputados
Mato Grosso do Sul - 8 deputados
Rio Grande do Norte - 8 deputados
Rondônia - 8 deputados
Roraima - 8 deputados
Sergipe - 8 deputados
Tocantins - 8 deputados

No Senado são 81 integrantes eleitos, assim distribuídos, por partido:
PMDB - 20 senadores
PT - 13 senadores
PSDB - 11 senadores
PTB - 7 senadores
PDT - 5 senadores
PR - 4 senadores
PSB - 4 senadores
PP - 4 senadores
DEM - 4 senadores
PCdoB- 2 senadores
Outros - 7 senadores
São três senadores eleitos por cada um dos 27 estados da União (entre eles o Distrito Federal).

Fonte: uai.com.br