Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

1059 - Os melhores e mais famosos riffs de guitarra da história do Rock

A história do rock está recheada de riffs, muitos deles antológicos. Basta escutar um pedacinho e a gente já reconhece de prontidão a música. Um riff é uma progressão de acordes, intervalos ou notas musicais, que são repetidas no contexto de uma música, formando a base ou acompanhamento. Riffs, geralmente, formam a base harmônica de músicas de jazz, blues e rock e são, na maioria das vezes, frases compostas para guitarra elétrica, o que não impede que eles sejam utilizados em outros instrumentos como baixo, piano, teclados, órgão etc. Basicamente, qualquer instrumento pode tocar um riff.
Alguns músicos são particularmente conhecidos por seus riffs marcantes e empolgantes, como Jimmy Page, Chuck Berry, Brian May, Angus Young, John Frusciante, Joe Perry, Keith Richards, Tony Iommi, James Hetfield, The Edge, Jack White, Dave Mustaine e Slash, entre tantos outros gênios da guitarra.
Neste vídeo que apresento a vocês, o músico Alex Chadwick, com um belo exemplar de uma Fender Stratocaster 1958, toca 100 famosos riffs de guitarra em uma ordem cronológica da história do Rock n´ Roll. Uma viagem maravilhosa no tempo e na música.
Alguns desses riffs me alegram fundo a alma, casos de Day Tripper (The Beatles), Satisfaction (The Rolling Stones), Layla (Derek and the Dominos), Smoke on the Water (Deep Purple), Money (Pink Floyd), Owner of a Lonely Heart (Yes), Sultans of Swing (Dire Straits), Message in a Bottle (The Police), Beat It (Michael Jackson), Glory Days (Bruce Springsteen), Money For Nothing (Dire Straits), Sweet Child 'O Mine (Guns N' Roses), Kickstart My Heart (Mötley Crüe), Enter Sandman (Metallica), Smells Like Teen Spirit (Nirvana), Even Flow (Pearl Jam) e Scar Tissue (Red Hot Chili Peppers). Mas os outros também não ficam a dever absolutamente nada.   
Vendo esse cara tocar todos esses riffs espetaculares me bateu uma tristeza. Como eu gostaria de poder ter toda essa competência no comando de uma guitarra! Infelizmente o talento não me foi presenteado pela Mãe Natureza. Mas tudo bem, só de me extasiar com tamanha maravilha já me deixa intensamente feliz. Viva o Rock n´Roll!
Um grande abraço espinosense.


Aqui estão todas as músicas tocadas no vídeo:

1 Mr. Sandman - Chet Atkins
2 Folsom Prison Blues - Johnny Cash
3 Words of Love - Buddy Holly
4 Johnny B Goode - Chuck Berry
5 Rumble - Link Wray
6 Summertime Blues - Eddie Cochran 
7 Pipeline - The Chantays 
8 Miserlou - Dick Dale 
9 Wipeout - Surfaris 
10 Daytripper - The Beatles 
11 Can't Explain - The Who 
12 Satisfaction - The Rolling Stones 
13 Purple Haze - Jimi Hendrix 
14 Black Magic Woman - Santana 
15 Helter Skelter - The Beatles 
16 Oh Well - Fleetwood Mac 
17 Crossroads - Cream 
18 Communication Breakdown - Led Zeppelin 
19 Paranoid - Black Sabbath 
20 Fortunate Sun - Creedence Clearwater Revival 
21 Funk 49 - James Gang 
22 Immigrant Song - Led Zeppelin 
23 Bitch - Rolling Stones 
24 Layla - Derek and the Dominos 
25 School's Out - Alice Cooper
26 Smoke on the Water - Deep Purple 
27 Money - Pink Floyd 
28 Jessica - Allman Brothers 
29 La Grange - ZZ Top 
30 20th Century Boy - T. Rex 
31 Scarlet Begonias - Grateful Dead 
32 Sweet Home Alabama - Lynyrd Skynyrd 
33 Walk This Way - Aerosmith
34 Bohemian Rhapsody - Queen
35 Stranglehold - Ted Nugent
36 Boys Are Back in Town - Thin Lizzy 
37 Don't Fear the Reaper - Blue Oyster Cult
38 Carry on My Wayward Son - Kansas 
39 Blitzkreig Bop - The Ramones 
40 Barracuda - Heart 
41 Runnin' with the Devil - Van Halen 
42 Sultans of Swing - Dire Straits 
43 Message in a Bottle - The Police
44 Hey Hey, My My (Into the Black) - Neil Young
45 Back in Black - AC/DC 
46 Crazy Train - Ozzy Osbourne 
47 Spirit of Radio - Rush 
48 Pride and Joy - Stevie Ray Vaughan 
49 Owner of a Lonely Heart - Yes
50 Holy Diver - Dio 
51 Beat It - Michael Jackson 
52 Hot For Teacher - Van Halen 
53 What Difference Does It Make - The Smiths
54 Glory Days - Bruce Springsteen 
55 Money For Nothing - Dire Straits 
56 You Give Love a Bad Name - Bon Jovi 
57 The One I Love - REM 
58 Where the Streets Have No Name - U2
59 Welcome to the Jungle - Guns N' Roses
60 Sweet Child 'O Mine - Guns N' Roses 
61 Girls, Girls, Girls - Motley Crue 
62 Cult of Personality -Living Colour
63 Kickstart My Heart - Motley Crue 
64 Running Down a Dream - Tom Petty 
65 Pictures of Matchstick Men - Camper Van Beethoven 
66 Thunderstruck - AC/DC 
67 Twice as Hard - Black Crowes 
68 Cliffs of Dover - Eric Johnson 
69 Enter Sandman - Metallica 
70 Man in the Box - Alice in Chains
71 Smells Like Teen Spirit - Nirvana 
72 Give it Away - Red Hot Chili Peppers 
73 Even Flow - Pearl Jam 
74 Outshined - Soundgarden 
75 Killing in the Name - Rage Against the Machine 
76 Sex Type Thing - Stone Temple Pilots
77 Are You Gonna Go My Way - Lenny Kravitz 
78 Welcome to Paradise - Green Day 
79 Possum Kingdom - Toadies 
80 Say it Ain't So - Weezer 
81 Zero - Smashing Pumpkins 
82 Monkey Wrench - Foo Fighters 
83 Sex and Candy - Marcy Playground 
84 Smooth - Santana 
85 Scar Tissue - Red Hot Chili Peppers 
86 Short Skirt, Long Jacket - Cake
87 Turn a Square - The Shins 
88 Seven Nation Army - White Stripes 
89 Hysteria - Muse 
90 I Believe in a Thing Called Love - The Darkness 
91 Blood and Thunder - Mastadon 
92 Are You Gonna Be My Girl - Jet 
93 Reptilia - The Strokes 
94 Take Me Out - Franz Ferdinand 
95 Float On - Modest Mouse 
96 Blue Orchid - White Stripes 
97 Boulevard of Broken Dreams - Green Day 
98 Steady As She Goes - The Raconteurs 
99 I Got Mine - Black Keys 
100 Cruel - St. Vincent

1058 - Você tem medo de quê?

Naturalmente, nós, seres humanos, em determinadas situações em que nos metemos perigosamente pela vida, sentimos bastante medo. Pode ser pelo ataque de um cão raivoso, de alguém descontrolado com uma arma na mão ou simplesmente pela insegurança de um futuro desconhecido. Nestes casos é absolutamente normal o sentimento do medo. Diferentemente da fobia, que é uma aversão ou medo psiconeurótico a objetos ou situações particulares e cujo número de ocorrências possíveis é quase infinito. Os nomes destas fobias são derivados da conjunção do nome grego que indica a coisa temida ao sufixo fobia.
Conforme a Wikipedia.org, a Fobia (do grego φόβος, "medo"), em linguagem comum, é o temor ou aversão exagerada ante situações, objetos, animais ou lugares. Sob o ponto de vista clínico, no âmbito da psicopatologia, as fobias fazem parte do espectro dos transtornos de ansiedade com a característica especial de só se manifestarem em situações particulares.
São vários os tipos de fobias:
Agorafobia - Medo de estar em lugares públicos concorridos, onde o indivíduo não possa retirar-se de uma forma fácil ou despercebida.
Fobia Social - Medo perante situações em que a pessoa possa estar exposta à observação dos outros, ser vítima de comentários ou passar perante uma situação de humilhação em público.
Fobia Simples - Medo circunscrito diante de objetos ou situações concretas.
O DSM IV, Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM) é um manual para profissionais da área da saúde mental que lista diferentes categorias de transtornos mentais e critérios para diagnosticá-los, de acordo com a Associação Americana de Psiquiatria (American Psychiatric Association - APA). Ele divide as fobias simples em cinco tipos:
  1. Animais (aranhas, cobras, sapos etc.)
  2. Aspectos do ambiente natural (trovoadas, terremotos etc.)
  3. Sangue, injeções ou feridas
  4. Situações (alturas, andar de avião, andar de elevador etc.)
  5. Outros tipos (medo de vomitar, contrair uma doença etc.)
O tratamento mais indicado é a psicoterapia:
Comportamental - A exposição controlada e progressiva ao objeto fóbico. Neste caso, através de técnicas de relaxamento e controle da ansiedade, procura-se dessensibilizar o indivíduo.
Cognitiva - Ajuda a reestruturar os pensamentos anômalos. Este objetivo é conseguido também através da aquisição de informação sobre o objeto ou a situação fóbica.
Psicodinâmica - Busca o entendimento e a elaboração dos significados simbólicos do sofrimento e dos sintomas desenvolvidos, bem como a elucidação dos ganhos secundários desses.




Aqui estão apenas alguns dos vários tipos de fobias:
Abissofobia — medo de abismos, precipícios;
Ablepsifobia — medo de ficar cego;
Ablutofobia — medo de tomar banho;
Acluofobia — medo ou horror exagerado à escuridão;
Acrofobia — medo de altura;
Aerodromofobia — medo de viagens aéreas;
Afefobia — medo de ser tocado;
Agorafobia — medo de lugares abertos, de estar na multidão, lugares públicos ou deixar lugar seguro;
Agrafobia — medo de abuso sexual;
Agirofobia — medo de ruas ou cruzamento de ruas;
Aicmofobia — medo de agulhas de injeção ou objetos pontudos;
Aletrorofobia — medo de galinhas (ornitofobia);
Ambulofobia — medo de andar;
Amnesifobia — medo de perder a memória;
Androfobia — medo de homens;
Anatidaefobia — medo de ser observado por patos;
Anginofobia — medo de engasgar;
Anuptafobia — medo de ficar solteiro (a);
Apifobia — medo de abelhas;
Aracnefobia ou Aracnofobia — medo de aranhas;
Astenofobia — medo de desmaiar ou ter fraqueza;
Astrofobia ou astrapofobia — medo de trovões e relâmpagos;
Automatonofobia — medo de bonecos de ventríloquo, criaturas animatrônicas, estátuas de cera (qualquer coisa que represente falsamente um ser sensível);
B
Batofobia — medo de profundidade;
Botanofobia — medo de plantas;
Batracofobia — medo de anfíbios (como sapos, salamandras, rãs etc.);
Bifobia — o medo de bissexuais;
Biofobia — medo da vida.
C
Cacorrafiofobia — medo de fracasso ou falhar;
Cainofobia ou cainotofobia — medo de novidades;
Calipsefobia — medo do apocalipse;
Catagelofobia — medo do ridículo (estar ou ser);
Catoptrofobia — medo de espelhos;
Cinofobia — medo de cães;
Cipridofobia, ciprifobia, ciprianofobia, ou ciprinofobia — medo de prostitutas ou doença venéreas;
Corofobia — medo de dançar;
Coitofobia — medo ou aversão à sexo;
Cromofobia ou cromatofobia — medo de cores;
Cronofobia — medo do tempo;
Cronomentrofobia — medo de relógios;
Claustrofobia — medo de espaços confinados ou lugares fechados ou seja, o oposto da agorafobia;
Climacofobia — medo de degraus (subir ou cair de degraus);
Clinofobia — medo de ir para cama;
Cnidofobia — medo de cordas;
Colpofobia — medo de órgãos genitais;
Coimetrofobia — medo de cemitérios;
Coprofobia — medo de fezes;
Coulrofobia — medo de palhaços;
D
Dendrofobia — medo de árvores;
Dipsofobia — medo de beber;
Domatofobia ou oiquofobia — Medo de casas ou estar em casa;
Dorafobia — medo de pele de animais;
E
Eisoptrofobia — medo de espelhos ou de se ver no espelho;
Electrofobia — medo de eletricidade;
Eleuterofobia — medo da liberdade;
Emetofobia — medo de vomitar;
Entomofobia — medo de insetos;
Epistaxiofobia — medo de sangrar do nariz;
Equinofobia — medo de cavalos;
Ergofobia — medo do trabalho;
Eritrofobia, eritofobia ou ereutofobia — medo de luz vermelha ou do vermelho;
Esciofobia ou esciafobia — medo de sombras
Escopofobia ou escoptofobia — medo de estar sendo olhado;
Escotofobia — medo de escuro;
Escotomafobia — medo de cegueira;
Esfecsofobia — medo de marimbondos;
Estasibasifobia ou estasifobia — medo de ficar de pé ou andar (ambulofobia);
Estaurofobia — medo de cruz ou crucifixo;
Estruminofobia — medo de morrer defecando;
Estupofobia — medo de pessoas estúpidas;
F
Fagofobia — medo de engolir ou de comer;
Falacrofobia — medo de tornar-se careca;
Farmacofobia — medo de tomar remédios;
Filemafobia ou filematofobia — medo de beijar;
Filofobia — medo de apaixonar-se;
Fonofobia — medo de barulhos ou vozes ou da própria voz de telefone;
Fotofobia — medo de luz;
Fronemofobia — medo de pensar;
Flatusfobia — medo de liberar flatos a valer.
G
Gamofobia — medo de casar;
Gefirofobia, gefidrofobia ou gefisrofobia — medo de cruzar pontes;
Geliofobia — medo de rir;
Geniofobia — medo de manter a cabeça erguida;
Gerascofobia — medo de envelhecer;
Gerontofobia — medo de pessoas idosas;
Ghostfobia — Medo de fantasmas;
Gimnofobia — medo de nudez;
Ginofobia, ginefobia ou ginecofobia — medo de mulheres;
H
Hedonofobia — medo de sentir prazer;
Heliofobia — medo do sol;
Hemofobia, hemafobia ou hematofobia — medo de sangue;
Herpetofobia — medo de répteis ou coisa que arrastam;
Heterofobia — etimologicamente medo do sexo oposto, uso comum: medo da heterossexualidade;
Hexacosioihexecontahexafobia — medo do número 666;
Hidrofobia — medo de água;
Hielofobia ou hialofobia — medo de vidro;
Hierofobia — medo de padres ou coisas sacras;
Hipnofobia — medo de dormir ou ser hipnotizado;
Hipsifobia — medo de altura;
Hobofobia — medo de bêbados ou mendigos;
Hodofobia — medo de atravessar estradas;
Hoplofobia — medo de armas de fogo;
Hipopotomonstrosesquipedaliofobia — medo de palavras grandes;
Humilhofobia — medo de ser humilhado.
I
Iatrofobia — medo de ir ao médico;
Ictiofobia — medo de peixe;
Ilingofobia — medo de vertigem ou sentir vertigem quando olha para baixo;
Insectofobia — medo de insetos;
Isopterofobia — medo de cupins.
J
Japanofobia — aversão e medo mórbido irracional, desproporcional e persistente de japoneses e/ou de sua cultura.
K
Katsaridafobia ou Catsaridafobia — medo de baratas.
L
Lactofobia — medo de leite;
Laliofobia ou lalofobia — medo de falar;
Lesbofobia — medo de mulheres lésbicas;
Limnofobia — medo de lagos;
Locquiofobia — medo de nascimento (criança);
Logizomecanofobia — medo de computadores;
M
Mageirocofobia — medo de cozinhar;
Malaxofobia — medo de amar (sarmassofobia);
Maniafobia — medo de insanidade;
Mecanofobia — medo de máquinas;
Megalofobia — medo de coisas grandes;
Melanofobia — medo de cor preta;
Melofobia — medo ou ódio de música;
Merintofobia — medo de ficar amarrado;
Metatesiofobia — medo de mudar;
Metrofobia — medo ou ódio de poesia;
Microfobia — medo de coisas pequenas;
Mirmecofobia — medo de formigas;
Molismofobia ou molisomofobia — medo de sujeira ou contaminação;
Monofobia — medo de solidão ou ficar só (Autofobia, Isolofobia);
Motefobia — medo de borboleta e mariposa;
Motorfobia — medo de automóveis;
N
Narigofobia — medo de narizes;
Nelofobia — medo de vidro;
Neofobia — medo de qualquer coisa nova;
Nefofobia — medo de nevoeiros;
Nictofobia — medo da escuridão ou da noite;
Nosofobia ou nosemafobia — medo de ficar doente;
Nudofobia — medo de nudez.
O
Oclofobia — medo de multidão;
Ocofobia — medo de veículos;
Odinofobia ou odinefobia — medo da dor (algofobia);
Oenofobia — medo de vinhos;
Oftalmofobia — medo de estar sendo vigiado;
Olfactofobia — medo de cheiros;
Ombrofobia — medo de chuva ou de estar chovendo;
Ometafobia ou omatofobia — medo de olhos;
Ornitofobia — medo de pássaros;
P
Pedofobia — medo das crianças;
Penterofobia — medo da sogra;
Pirofobia — medo do fogo;
Parasquavedequatriafobia — medo de sexta—feira 13;
Ptesiofobia — medo de viajar de avião.
Q
Quadrofobia — medo de ir ao quadro;
Quenofobia — medo de espaços vazios;
Quimofobia — medo de ondas;
Quionofobia — medo de neve;
R
Ripofobia — medo de defecar;
Ritifobia — medo de ficar enrugado;
Rupofobia — medo de sujeira.
S
Selenofobia — medo da lua;
Sexoafobia — medo de fazer sexo;
Sexofobia — medo do sexo oposto (heterofobia);
Siderofobia — medo de estrelas;
Sinistrofobia — medo de coisas do lado esquerdo, mão esquerda;
Somnifobia — medo de dormir;
Sofofobia — medo de aprender;
Soteriofobia — medo de dependência dos outros;
T
Tacofobia ou Tachofobia — medo de velocidade;
Tafofobia ou tafefobia — medo de ser enterrado vivo;
Talassofobia — medo do mar;
Tanatofobia ou tantofobia — medo da morte ou de morrer;
Tecnofobia — medo de tecnologia;
Telefonofobia — medo de telefone;
Teratofobia — medo de crianças ou pessoas deformadas;
Testofobia — medo de fazer provas (escolares);
Tocofobia — medo de gravidez;
Transfobia — medo de transexuais;
Triscaidecafobia — medo do número 13;
U
Unatractifobia — medo de pessoas feias;
Uranofobia — medo do céu;
Urofobia — medo de urina ou do ato de urinar;
Uiofobia — medo dos próprios filhos; medo da prole.
V
Vacinofobia — medo de vacinação;
Verbofobia — medo de palavras;
Vitricofobia — medo do padrasto.
X
Xantofobia — medo da cor amarela / medo de objetos de cor amarela;
Xenofobia — medo de estrangeiros e/ou estranhos;
Z
Zelofobia — medo irracional do ciúme;
Zoofobia — medo de animais.

Um grande abraço espinosense.

1057 - Os incomodados que se retirem

Encontrei esse simpático vídeo no You Tube e achei o maior barato. Não poderia deixar de compartilhar aqui com vocês. Mostra um velhinho meio mal-humorado que se sente bastante incomodado com a interrupção do seu sagrado descanso e não suporta a presença de uns animais barulhentos trazidos à sua casa pela esposa. Ele então resolve colocar um fim radical nesta situação, mas logo logo terá uma surpresa. Confiram!
Um grande abraço espinosense.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

1056 - O nosso poeta maior Teotônio Barbosa Lima

Ganhei de presente há algum tempo dois livros do poeta espinosense Teotônio Barbosa Lima, o que muito me alegrou. Já havia agendado uma postagem sobre ele e a chegada dos livros me deu combustível para celebrar aqui no nosso blog a sua veia artística. São dois volumes, "Versos e Reflexos de um Velho Coração Infantil" e "Versos que Fiz Brincando". Lá estão poemas sobre os mais variados temas, desde os "Velhos Tempos" e a "Alegria de Viver" até saudações à cidade de Mamonas e ao nosso belo educandário Comendador Viana.
Aos que ainda não sabem de quem se trata, eis um breve relato da sua vida, conforme informações encontradas em um dos seus livros. 
Teotônio Barbosa Lima nasceu em Espinosa, no dia 26 de dezembro de 1920, filho de Antônio Barbosa Lima e Maria Alcinda Barbosa. No ainda Grupo Escolar Comendador Viana fez o curso primário. Trabalhou como funcionário público municipal, alfaiate e comerciante e foi eleito vereador e Presidente da Câmara de Espinosa. Por oito anos, participou do programa radiofônico "Hora da Poesia" na Rádio Educadora de Espinosa (que já não existe), levando poesia e arte à população da cidade. É casado com Julieta Tolentino de Oliveira desde 5 de outubro de 1943 e tem 6 filhos.
É gratificante ver, em uma cidade que não possui uma política cultural mínima, alguém se dedicar à criação poética e à divulgação de suas ideias sobre o mundo através da arte. Fico imaginando quanta gente talentosa deve existir em Espinosa e que não tem motivação ou oportunidade para expressar os seus dons artísticos por falta de uma secretaria de cultura atuante na cidade. Uma pena, realmente! 
Seu Teotônio é um apaixonado pelas palavras, mesmo tendo cursado apenas o curso primário. Isso não foi empecilho para que ele se dedicasse à leitura de tudo o que lhe chegasse às mãos e, de forma autodidata, construísse uma história de amor e devoção ao conhecimento, em especial à poesia.
Vindo de família humilde, criou e encaminhou os filhos todos no caminho do bem e dos estudos: Bernadete, Bolivar, Jayme, José Geraldo, Juraci e Neuza.
Em suas criações poéticas, combinadas com seu jeito sereno e pueril, ele espalha o amor, o carinho, a felicidade, a harmonia, a fé em Deus e Nossa Senhora, o apreço pela família e pela sua terra natal, a amizade e o otimismo na vinda de dias melhores para todos.
Ao Seu Teotônio, nosso poeta, a minha admiração, respeito e carinho, não só pelo valor da sua obra artística em uma cidade tão carente de cultura, como também pela sua trajetória de vida familiar, social e profissional repleta de dignidade e retidão.
Ao seu filho, Juraci, o meu agradecimento pelos presentes e o meu abraço amigo.
Um grande abraço espinosense.



Meu Coração
Teotônio Barbosa Lima

O meu coração é como uma casa grande,
Muito arejada, cheia de compartimentos,
Dentro dela, as minhas alegrias se expandem,
E dela eu tiro os melhores pensamentos.

Nela recebo alegrias, emoções e dores,
Havendo lugar até para os sofrimentos,
Só não existe lugar para rancores,
E muito menos para guardar ressentimentos.

Que ela seja assim por toda a minha vida,
Guardando apenas as passagens bem vividas,
De pura felicidade e nunca igualáveis!

E que não me sobre nenhuma sombra de mágoas,
Rolando todas pelo correr das águas,
Restando apenas alegrias incomparáveis.

1055 - Espinosa disponível para o mundo no Google Street View

Talvez eu seja o último espinosense a me dar conta disso, mas só ontem eu tomei conhecimento de que já estão disponíveis na Internet as imagens das ruas de Espinosa no Google Street View, uma verdadeira maravilha da tecnologia dos tempos modernos. Fui avisado da novidade pelo meu chefe no trabalho, o Hernan Rocha. Logo que cheguei em casa, fui confirmar a informação e fiquei bastante animado com a notícia, já que através desta ferramenta espetacular disponibilizada gratuitamente na Web, os nossos conterrâneos que residem bem distantes de Espinosa, alguns com vários anos sem visitá-la, poderão perambular tranquilamente pelas ruas da cidade e matar a enorme saudade da terrinha querida.
Para quem ainda não conhece este recurso extraordinário da informática, o Google Street View disponibiliza imagens panorâmicas de 360 graus na horizontal e de 290 graus na vertical, das praças, ruas e avenidas das cidades. Ele foi lançado em 25 de agosto de 2007, com a cobertura inicial de apenas cinco cidades americanas: São Francisco, Las Vegas, Denver, Miami e Nova Iorque. A partir daí, foram incluídas novas cidades americanas e outros países como França, Itália, Austrália, Japão e Espanha até o final de 2008. A partir de 2009 boa parte do resto do mundo também foi filmada, inclusive o Brasil, em setembro de 2010. 
Não tenho absoluta certeza, mas tudo indica que as imagens de Espinosa foram filmadas em junho de 2012, mas só há pouco tempo foram liberadas na rede mundial de computadores, já que eu sempre acessava e não as encontrava disponíveis. A paisagem já mudou bastante de lá pra cá na cidade, mas muita coisa permanece inalterada. Na Praça Antonino Neves, por exemplo, ainda não estava concluída a sede da APAE e nem existia a casa da minha amada Tia Lia. Legal também é descobrir nas imagens, mesmo com os rostos borrados pelo Google, personagens bastante conhecidos da nossa terra, como Xará (Na Rua 9 de Março) e Tone Barbosa (Na praça Coronel Joaquim Tolentino, em frente à casa dos seus pais).
Àqueles que ainda não fizeram uso deste dispositivo extraordinário da tecnologia, eu os convido a experimentar essa fantástica viagem virtual que parece nos transportar e nos fazer sentir presentes nas ruas da nossa cidade. Não deixem de utilizá-lo, principalmente os que estão a milhares de quilômetros de distância de casa, da nossa terrinha. Vocês não se arrependerão, eu aposto!
Para saber como funciona o processo de coleta de imagens, dê uma olhada aqui: https://www.google.com.br/intl/pt-BR/maps/about/behind-the-scenes/streetview/#devices
Confiram abaixo algumas imagens retiradas do Street View.
Um grande abraço espinosense.













1054 - A melhor história de Paulo Coelho: Não Pare na Pista

Ele é conhecido mundialmente como um grande escritor, pelas dezenas de best-sellers lançados pelo mundo inteiro, mas aqui no Brasil ele talvez seja mais reverenciado por ter sido o parceiro ideal do "Maluco Beleza" Raul Seixas e ter composto algumas das mais famosas músicas do rock nacional tais como "Sociedade Alternativa", "Gita" e "Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás". Trata-se do Paulo Coelho, nascido em 24 de agosto de 1947 no Rio de Janeiro, filho do engenheiro Pedro Paulo Coelho e de Lígia Coelho, atual ocupante da cadeira nº 21 na Academia Brasileira de Letras. Desde 1981 é casado com a artista plástica Christina Oiticica. 
Um personagem tão rico e misterioso não poderia deixar de ter a sua história contada no cinema, o que acontece agora com o lançamento do filme "Não Pare na Pista", com roteiro de Carolina Kotscho e direção de Daniel Augusto e que tem no elenco os atores Ravel Andrade (Paulo Coelho jovem), Júlio Andrade (Paulo Coelho adulto e atual), Fabíula Nascimento (A mãe Lygia), Enrique Diaz (O pai Pedro) e Lucci Ferreira (O parceiro Raul Seixas).
A sua cinebiografia mostra Paulo Coelho em três diferentes fases da vida: ainda adolescente (anos 60), no início da carreira de escritor (1980) e agora na maturidade, quando retornou ao Caminho de Santiago de Compostela. Ali são retratadas passagens fundamentais da vida do escritor, retiradas dos seus próprios depoimentos, em que aparecem sem disfarces as suas inquietações, os seus traumas, as suas experiências sexuais, religiosas e com as drogas, o encontro e a parceria com Raul Seixas e o sucesso estrondoso como escritor, mesmo após recusa de editores no início da carreira.
Desde cedo mantendo uma relação conflituosa e conturbada com o pai e com problemas de auto-aceitação, por se sentir feio e de não se dar bem com as mulheres, Paulo passa por um processo doloroso de descobertas, até com uma internação em uma clínica psiquiátrica, onde chegou a tomar choques elétricos como parte do tratamento para livrá-lo das suas inquietações. Em seguida passa por várias fases, onde vive intensamente a influência do álcool, das drogas, do sexo, da astrologia, da ufologia e das experimentações, até fazer o percurso do Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha e começar a sua brilhante carreira de sucesso como escritor, a partir do lançamento de "Diário de Um Mago" em 1987.
O filme, que se desenrola entre três épocas diferentes, perde um pouco da coesão da narrativa e pode dificultar o entendimento por alguns, mas o mais importante é o bom desempenho dos atores e a riqueza da história de vida do homenageado. Gostem ou não dos seus livros ou das suas músicas, não há como negar a importância de um cara que conseguiu a proeza de vender, até hoje, cerca de 100 milhões de livros em mais de 150 países, com suas obras sendo traduzidas para 66 idiomas e se tornando o autor mais vendido em língua portuguesa de todos os tempos. Então, meus amigos, não deixem de assistir a história deste ícone da cultura brasileira.
Um grande abraço espinosense.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

1053 - Marco Birkheuer, nosso jovem e talentoso escritor

Estamos vivendo um momento mágico de boas descobertas dos talentos escondidos de Espinosa. Se não bastassem o sucesso do grande goleiro Ivan no time do Joinville e da nossa brilhante campeã mundial de vôlei de praia Ana Patrícia Silva Ramos, a Paty, eis que me surpreendo ao saber do lançamento do livro "Segure Minha Asa" (Editora 42) do jovem escritor espinosense Marco Birkheuer, de apenas 15 anos. Que maravilha isto, rapaz! 
Confesso que estou completamente entusiasmado com essa descoberta. Eu, que não canso de reivindicar aqui no nosso blog, ações das várias esferas da sociedade de Espinosa, em especial o poder público, para que sejam criadas oportunidades de descobertas de talentos, tanto na área esportiva quanto na área da cultura, não poderia estar mais animado. Quantos talentos estão ocultos por aí, adormecidos, desperdiçados pela inoperância das autoridades? Quando aparece um talento assim, como o Marco, é um motivo especialíssimo para comemorar e muito.
O garoto terá o seu livro lançado na cidade de Espinosa no dia 14 de novembro próximo, por ocasião do evento literário "Café com Letras", realizado a cada dois anos pela Escola Estadual Betânia Tolentino Silveira.
Em entrevista concedida ao blog "Meu Livro, Meu Tudo", o jovem escritor espinosense fala das suas influências literárias e musicais, de onde vem a sua inspiração e o plano de escrever logo um outro livro. Disse ser admirador das obras de Pedro Bandeira, Renata Ventura, Suzanne Collins, Sara Shepard, J. K. Rowling, Cassandra Claire, Paulo Sérgio Moraes e Monteiro Lobato. Seu gosto musical vai dos eternos Beatles a Lorde, passando por Louis Armstrong, Roxette e Simple Red. Tem bom gosto o rapaz! 
Ele contou ainda que passou cerca de oito meses escrevendo e que, entre cinco editoras a quem foram apresentadas o livro, quatro delas aprovaram o seu trabalho. A história envolve romance e suspense e relata as peripécias de dois irmãos adolescentes às voltas com um "stalker", um invasor da vida privada alheia, personagem baseado em parte a um acontecimento real na cidade de Espinosa, conforme seu relato. Como curiosidade, o seu sobrenome artístico, Birkheuer, foi retirado de um personagem de um jogo RPG.
Então, só nos resta aplaudir de pé o nosso mais novo escritor, mais um excelente exemplo para a juventude da nossa cidade e, como ele mesmo ensina: vamos escrever pois "escrever é criar, seja dono de seu próprio mundo". 
Parabéns, Marco, e sucesso, garoto! Estamos torcendo por você!
Um grande abraço espinosense.



1052 - A picape de areia

Para promover o lançamento da nova geração da sua picape Colorado, a montadora americana Chevrolet se aproveitou da realização de uma competição de esculturas de areia, nos Estados Unidos, para patrocinar o evento e realizar um evento de marketing. Na cidade de San Diego, na Califórnia, região de maior mercado de picapes médias dos Estados Unidos, foi criada uma versão da picape Colorado totalmente em areia, para deleite dos visitantes. 
O modelo criado em escala real consumiu 34 toneladas de areia e demorou cinco dias para ficar pronto. Bastante simples e criativa a ideia. Legal!
Um grande abraço espinosense.

 

1051 - A arte em madeira e as guitarras espetaculares de Ton Dias

O artista plástico mineiro Ton Dias é um talento na confecção de quadros artísticos, trabalhos de madeira esculpida e peças de escultura de parede, que ele comercializa também pelo seu site na Internet. Mas o que mais me chamou a atenção no seu trabalho foram as guitarras personalizadas que ele cria com imensa criatividade. Ao vê-las, imediatamente lembrei-me dos espinosenses Bruno, Rogério Castro e Leonardo Tolentino, aficionados por música, guitarras e violões.
Formado em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Halston Mendes Dias, ou Ton Dias, é natural de Belo Horizonte e, além de escultor, entalhador e pintor, também é luthier de instrumentos eletroacústicos.
Se se interessarem em comprar uma dessas maravilhas é só acessar o site do artista: tondiasescultor.blogspot.com ou luthierguitarra.wix.com.
Um grande abraço espinosense.











Ton Dias e Yves Passarell do Capital Inicial

domingo, 7 de setembro de 2014

1050 - O desfile de 7 de setembro em Espinosa

A tradição ainda permanece viva em Espinosa quando se trata de comemorações cívicas pela passagem do 7 de setembro, dia da Independência do Brasil. As crianças ainda se apresentam pelas ruas da cidade, não mais como antigamente, quando era uma obrigação marchar por longo período ao som da fanfarra, debaixo de um sol escaldante. Hoje a coisa é mais amena, mas permanece a beleza construída pelas escolas no desfile em homenagem à pátria, o que só merece elogios.
Como estou distante, sem poder estar presente, publicarei algumas fotografias gentilmente enviadas pelo meu primo Carlos Magno Tolentino Vieira, a quem agradeço a gentileza.
Um grande abraço espinosense e viva o nosso Brasil!