Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

1662 - Os gigantes da música

Nos tempos antigos, ou nem tanto assim, a importância e a respeitabilidade de um artista podiam ser medidas pela quantidade de discos que ele conseguia vender. Nos tempos atuais, de tecnologia de ponta e de venda de música por streaming, a metodologia de cálculo mudou consideravelmente, mais focada nas músicas em separado e não mais nos álbuns. A exatidão dos números é sempre questionável, dadas as enormes inconsistências nesta pesquisa.
Mas mesmo com os cálculos sendo feitos através de estimativas, com grande possibilidade de imprecisões nos números, é possível visualizar a relevância inquestionável de artistas diferenciados que fizeram a cabeça de milhões e milhões de admiradores pelo mundo. O que salta aos olhos é a confirmação do enorme poderio da industria americana da música, sobretudo o bom e velho Rock and Roll.
A lista que publico logo abaixo é apenas um apanhado do que aparece na Wikipedia, com a publicação aqui apenas dos maiores nomes. Para quem quiser visualizar a lista completa, basta acessar o link.
Um grande abraço espinosense.


terça-feira, 17 de janeiro de 2017

1661 - Tempos difíceis

O título da canção já diz tudo: "Troubled Times" ou "Tempos Difíceis". Não, a canção não disserta sobre o nosso Brasil, que passa talvez pela pior e mais vergonhosa etapa da sua história. A música, da banda americana de punk rock Green Day, apresenta um panorama sombrio e desalentador sobre a situação política por que passa a nação mais poderosa do mundo, agora com a chegada ao poder de um sujeito radical, homofóbico, misógino, racista, xenófobo, antiético e preconceituoso. Uma tristeza! Pelo menos é bom saber que os artistas americanos não se deixam acovardar com a sua ascensão à Casa Branca. Dias atrás, a excelente atriz Meryl Street já havia dado o seu recado na entrega do prêmio Globo de Ouro, em que foi agraciada com o prêmio Cecil B. DeMille, ofertado a pessoas que deram grandes contribuições para o mundo do entretenimento. Ela repudiou, de forma firme e indireta, as atitudes preconceituosas e xenófobas do político republicano. A maioria dos artistas americanos tem o mesmo pensamento, felizmente.
Mas voltemos à música. A banda californiana Green Day nasceu em Berkeley no ano de 1987, formada então por Billie Joe Armstrong, John Kiffmeyer e Mike Dirnt. John deixou a banda em 1992. Em 1993 Tré Cool assumiu a bateria e o guitarrista Jason White entrou pra a banda em 1999, completando a formação atual. Na sua trajetória de sucesso, o Green Day já levou para casa 5 prêmios Grammy e em 2014 foi introduzido no Rock and Roll Hall of Fame. O mais recente álbum da banda, nominado "Revolution Radio", foi lançado em 7 de outubro de 2016. A música a qual me refiro na postagem, "Trouble Times", é a décima canção do disco.
Resta-nos rezar para que o bom senso impere no Império e que as lágrimas de Martin Luther King no clipe não precisem ser derramadas por todos nós. Que Deus nos proteja da insensatez humana!
Um grande abraço espinosense.



Membros atuais:
Billie Joe Armstrong: Vocal, guitarra (1987–presente)
Mike Dirnt: Baixo, vocal de apoio (1987–presente)
Tré Cool: Bateria, percussão, vocal de apoio (1993–presente)
Jason White: Guitarra, vocal (1999-presente)

Álbuns de estúdio:
39/Smooth (1990)
Kerplunk (1992)
Dookie (1994)
Insomniac (1995)
Nimrod (1997)
Warning (2000)
American Idiot (2004)
21st Century Breakdown (2009)
¡Uno! (2012)
¡Dos! (2012)
¡Tré! (2012)
Revolution Radio (2016)


Green Day
Troubled Times

What good is love and peace on earth?
When it's exclusive?
Where's the truth in the written word?
If no one reads it
A new day dawning
Comes without warning
So don't blink twice

We live in troubled times
We live in troubled times

What part of history we learned
When it's repeated
Some things will never overcome
If we don't seek it
The world stops turning
Paradise burning
So don't think twice

We live in troubled times
We live in troubled times
We live in troubled times

We run for cover
Like a skyscraper's falling down
Then I wander like a troubled mind

What good is love and peace on earth?
When it's exclusive
Where's the truth in the written word?
If no one reads it
A new day dawning
Comes without warning
So don't look twice

We live in troubled times
We live in troubled times
We live in troubled times
We live in troubled times
We live in troubled times
We live in troubled times

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

1660 - O mundo da injustiça

Imagine a seguinte situação na sua cidade. Apenas oito cidadãos, juntos, possuem a mesma quantidade de riqueza do que todo o restante da população. É mesmo uma coisa louca, injusta, absurda e inacreditável, não é? Isso é uma piada ou coisa parecida, um blefe de algum radical louco ou apenas o frio e triste resultado de números reais?
Não, talvez esse cenário devastador de concentração de riqueza e poder não se apresente completamente na sua cidade, mas é realidade no nosso mundo e no nosso Brasil. Conforme dados recém divulgados pela ONG Oxfam, os oito homens mais ricos do mundo possuem a mesma riqueza que a metade mais pobre da população mundial. Apenas oito cidadãos têm a mesma riqueza que os 3,6 bilhões de pessoas que compõem a metade mais pobre da Humanidade, ou seja aqueles que sobrevivem com menos de U$ 2 por dia, um a cada dez habitantes do planeta. 
Essa triste realidade emana dos dados revelados pelo relatório "Uma economia para os 99%", lançado hoje pela Oxfam, confederação de 20 organizações que atuam em 94 países pelo fim da pobreza e desigualdade. O lançamento acontece um dia antes do início do Fórum Econômico Mundial, em Davos, onde estão reunidos representantes das maiores e mais ricas empresas do mundo.
É certo que alguns radicais irão se manifestar ruidosamente com a afirmativa de que toda essa riqueza é resultado do trabalho e coisa e tal, como se o resto do mundo não trabalhasse ou que, se não o fazem, é porque são preguiçosos ou canalhas. Não é por aí. O mundo é de todo mundo. Se estamos aqui, temos o direito de viver e de fazê-lo com o mínimo de dignidade possível. Ninguém é contra a riqueza. O que se defende é que a distância entre os mais ricos e os mais pobres não seja tão acentuada e que os menos favorecidos tenham tão somente o mínimo para se alimentar e sobreviver com dignidade. 
Que não vejamos mais neste mundo imagens dilacerantes de crianças esquálidas à beira da morte pela falta do que comer, enquanto milhões são gastos pelos abastados em fúteis ações e mimos infantis. Eu jamais me conformarei com isto! Dói-me profundamente a alma. Jamais poderemos viver em completa paz enquanto soubermos que alguém não tem o que comer em algum lugar do mundo. Pense nisso! 
Um grande abraço espinosense. 

Os oito mais ricos do mundo:
1º - Bill Gates, americano, fundador da Microsoft: US$ 75 bilhões
2º - Amancio Ortega, espanhol, fundador da Zara: US$ 67 bilhões
3º - Warren Buffett, americano, CEO e e sócio da Berkshire Hathaway: US$ 60,8 billhões
4º - Carlos Slim Helu, mexicano, dono do Grupo Carso: US$ 50 bilhões
5º - Jeff Bezos, americano, presidente da Amazon: US$ 45,2 bilhões
6º - Mark Zuckerberg, americano, fundador do Facebook: US$ 44,6 bilhões
7º - Larry Ellison, americano, cofundador e CEO da Oracle: US$ 43,6 bilhões
8º - Michael Bloomberg, americano, dono da Bloomberg LP: US$ 40 bilhões

"Quando as autoridades políticas deixarem de estar obcecadas pelo PIB, se concentrarem no interesse de todos os cidadãos e não apenas de uma elite, será possível um futuro melhor para todas e todos".
Manon Aubry, porta-voz da Oxfam.
Para mais informações, acesse: https://www.oxfam.org.br.








1659 - Formatura de Rodrigo Vasconcelos Cangussu

O ano de 2016 já se foi, é passado, mas algumas formaturas ainda continuam acontecendo e envolvendo jovens ligados a famílias de Espinosa. 
Desta vez tive conhecimento da formatura de Rodrigo Vasconcelos Cangussu, filho dos meus amigos Jair de Gedeon e Suzane. Ele se formou em Engenharia Civil pela FIPMOC - Faculdades Integradas Pitágoras, em Montes Claros. Anteriormente, ele havia se formado em Agronomia.
Ao Rodrigo, todo o sucesso e boa sorte na nova caminhada. Que seja feliz e respeitado na profissão e que mais esta conquista seja comemorada com muita alegria com todos os familiares e amigos. 
Que Deus o abençoe!
Um grande abraço espinosense.

domingo, 15 de janeiro de 2017

1658 - 15 de janeiro de 2017. Há 32 anos, a volta da esperança

Mesmo de forma ainda indesejável, ao contrário do que exigia o movimento popular das "Diretas Já", mas da melhor forma possível para a ocasião, finalmente em 15 de janeiro de 1985 findava um período tenebroso da história do Brasil, a nefasta ditadura militar iniciada em 1964. Através de uma eleição indireta no Colégio Eleitoral, Tancredo de Almeida Neves venceu por 480 votos contra 180, com 26 abstenções, (de um total de 686) o deputado do PDS Paulo Salim Maluf, colocando fim nos terríveis anos de chumbo e iniciando um processo de fundamental importância para a redemocratização e a volta da liberdade ao país.
Quis o destino que o vencedor da eleição indireta não tomasse posse nem vestisse a faixa presidencial. Tancredo sentiu-se bastante mal às vésperas de ser empossado no cargo, data marcada em 15 de março de 1985, e foi internado às pressas no Hospital de Base de Brasília, passando por várias cirurgias sem sucesso e finalmente deixando o país inconsolável quando faleceu em 21 de abril. A causa de sua morte até hoje causa controvérsias entre os médicos.


Naquele momento de libertação e alguma insegurança, mesmo com a vitória de Tancredo Neves e seu vice José Sarney, a Democracia parecia ter renascido no país, após 21 anos de repressão, violência, sequestros, torturas, mortes e desaparecimentos. Anos de chumbo, de nenhuma liberdade de expressão, nem mesmo no campo da música, onde várias canções foram idiotamente censuradas. Um período de trevas que espero jamais se repetir, embora a situação política atual do país aponte para coisa parecida, infelizmente.
Conseguimos uma façanha, vencer a ditadura! E o melhor de tudo, sem derramamento de sangue, com a vitória sendo costurada e implementada nos bastidores de um processo que envolveu várias vertentes políticas do país, com atuação destacada do grande Ulysses Guimarães. E aí, ingenuamente, passamos a acreditar que a Democracia seria fortalecida cada vez mais e que iríamos mantê-la até o fim dos tempos. Quanto engano! Os recentes acontecimentos no Brasil mostram claramente os riscos que a nossa frágil Democracia corre, sobretudo sob a tentação dos poderosos acostumados a usufruírem infinitamente das benesses do poder.


O desalentador é perceber que, mesmo após 32 anos, uma enorme parcela da nossa população desconhece a história do país ou se deixa manipular facilmente, sem vislumbrar o jogo de interesses internos e externos que vigora nas sombras e nos bastidores.
São 32 anos de exercício da Democracia a se comemorar hoje, 15 de janeiro de 2017. Mas fica a dúvida, temos mesmo o que celebrar?
Ditadura, nunca mais! Democracia, sempre! Liberdade, eternamente!
Um grande abraço espinosense.


sábado, 14 de janeiro de 2017

1657 - Estar em casa é tão bom!

Com o término de mais um ano de batalha, não pude desperdiçar a oportunidade de pegar a estrada e ir visitar a minha Espinosa e reencontrar os queridos familiares e amigos. Aproveitei ainda para acompanhar a posse dos nossos novos comandantes da política pelos próximos quatro anos, e como todos os espinosenses, com o coração tomado por uma esperança renovada de que as coisas irão melhorar para todos. Como diz o velho ditado, "A esperança é a última que morre!"
Chegando à terrinha no meio da tarde do sábado, derradeiro dia do ano de 2016, debaixo de um sol para lá de escaldante, saí pelas ruas e resolvi conhecer a nova sensação da cidade, o barzinho Casarão Lounge Bar, de propriedade do empresário Hélio Braga. Fiquei impressionado com a estrutura implantada pelo Hélio no seu estabelecimento. Tudo muito organizado, tudo muito bonito, tudo feito com imensa criatividade e respeito à memória de Seu Sílvio Ribeiro, saudoso proprietário do local, onde funcionou por muitos anos a sua farmácia. Realmente uma conquista e tanto para nossa cidade. Um investimento significativo na oferta de lazer para os espinosenses que só merece elogios, ainda mais com a promoção de eventos como shows de artistas locais e o encontro de carros antigos realizado há poucos dias. 
Para não perder a rotina, encontrei-me com velhos e novos amigos, e aí a farra se estendeu até mais tarde. Enquanto uns saíam, outros chegavam, e no final da noite eu já estava um tanto quanto embriagado de alegria e cerveja. Mas valeu cada instante, neste reencontro cheio de calor humano que só mesmo o povo de Espinosa sabe disseminar.
Agora que eu terei mais tempo livre, é possível e quase certo que as minhas idas a Espinosa tornem-se mais frequentes e menos corridas, o que me permitirá mais encontros e reencontros com pessoas queridas nesses tempos de muita fé e esperança no futuro.
Que Deus nos abençoe a todos!
Um grande abraço espinosense.



















quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

1656 - O prazer de partilhar

O título do vídeo cita o Natal. Mas não se trata só disso o que se vê nele. É algo muito além disso. O seu âmago é uma coisa muito mais profunda. A mensagem que o embala é muito mais bonita. Não que a atitude do jogador Nuno Gomes não mereça os maiores elogios. Não é isso. É emocionante sentir a alegria de Satu e de seus amigos com as novíssimas chuteiras presenteadas pelo craque português, que merece todo o nosso aplauso pela elogiável atitude solidária. Parabéns ao Nuno. 
Mas o que mais me emocionou foi perceber o sentimento de amizade e de desprendimento desses meninos sem boas condições financeiras, mas com o profundo sentido do partilhamento na alma. Ao dividir o par de chuteiras com seus colegas, eles nos mostram quanto é necessário repartir tudo com os nossos semelhantes. Deveríamos lutar sempre para que não só nós e nossos filhos tenham boas condições de vida, mas todos ao nosso redor. Justiça social é a base de uma sociedade construída na paz, na harmonia e no respeito. Nunca é tarde para aprender a lição.
Um grande abraço espinosense.


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

1655 - Hoje é dia do santo REI

Quarta-feira, 11 de janeiro de 2017. Hoje o maior artilheiro da história do Clube Atlético Mineiro e um dos maiores ídolos da sua apaixonada torcida completa 60 anos de vida. 
José Reinaldo de Lima, o aclamado REI pela Massa Atleticana, nasceu na cidade mineira de Ponte Nova em 11 de janeiro de 1957, sexto filho do casal Mário e Maria Coeli (Oito filhos, quatro homens, quatro mulheres).
Desde garotinho sua técnica apurada, seu talento impressionante e seus gols em profusão já despertavam atenção dos amantes do futebol na sua cidade natal. E foi lá mesmo, em um dia 7 de setembro, data comemorativa da Independência do Brasil e em pleno desfile na rua, que ele foi abordado pelo treinador Barbatana, que lá estava com o time juvenil do Atlético para um amistoso. O treinador atleticano já tinha todas as informações sobre aquele menino que encantava a todos com o seu extraordinário talento para o futebol e queria rapidamente levá-lo para Belo Horizonte para integrá-lo à equipe juvenil do Atlético. O garotinho, surpreso e assustado, simplesmente disse ser preciso falar com a sua mãe. E lá foram eles para a residência de Reinaldo. A mãe, Dona Maria Coeli, prontamente concordou, com a exigência de que ele não deixasse de continuar os estudos. Estava iniciando ali a trajetória magnífica do Rei com a camisa alvinegra.
Reinaldo viajou no mesmo dia com a delegação atleticana para Belo Horizonte. No dia seguinte, 8 de setembro de 1971, Reinaldo, com apenas 14 anos, participou do treinamento enfrentando o time profissional que se tornaria o Campeão Brasileiro daquela temporada e não se intimidou com a enorme pressão, mostrando toda a sua categoria com a bola nos pés. A partir daí, BH, Minas Gerais, o Brasil e o mundo passaram a conhecer um dos maiores craques da história do futebol.
Reinaldo passou então a despertar a atenção da mídia e dos torcedores e a sofrer a marcação firme, dura e por vezes violenta dos jogadores adversários, o que resultou em várias e sérias lesões nos joelhos, em uma época em que os tratamentos médicos eram obsoletos, bem diferentes dos atuais. Foi operado várias vezes e submetido a muitas infiltrações, por várias vezes jogando com os joelhos inchados e doloridos, sem a menor condição de atuação. Tudo isso foi fundamental para que infelizmente sua carreira fosse abreviada.



Reinaldo foi um gênio da bola. Estreou no time profissional do Atlético em uma partida contra o Valério, ainda com 16 anos, no dia 28 de janeiro de 1973. Seu primeiro título conquistado foi o Campeonato Mineiro de 1976, de forma invicta. No ano seguinte, foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro com a incrível marca de 28 gols em 18 partidas, até hoje a melhor média de gols marcados na competição (1,55 gols). O Atlético perdeu o título de 1977 para o São Paulo, no Estádio Mineirão, de forma invicta e com 10 pontos a mais na tabela de classificação, após empate em 0 x 0 no tempo normal e derrota na disputa de pênaltis. De 1978 a 1983 ele foi sempre destaque da expressiva campanha atleticana no período, conquistando o Hexacampeonato Mineiro. Foram 6 anos de domínio completo no futebol mineiro, ao lado de craques como Toninho Cerezzo, Paulo Isidoro, Marcelo, Luizinho e Éder.


Um dos momentos mais marcantes da vida de Reinaldo foi sem dúvida a partida final do Campeonato Brasileiro de 1980, jogada no dia 1º de junho de 1980. O adversário do Atlético no Maracanã lotado com cerca de 160 mil torcedores, era o poderoso Flamengo de Zico, Andrade, Adílio e Nunes. Na primeira partida decisiva, realizada no Mineirão, Reinaldo marcou o único gol da vitória do Atlético por 1 x 0. Com este resultado, poderia jogar pelo empate no Maraca para levantar a taça.
O Flamengo saiu na frente, com um gol de Nunes, após uma bobeira gigantesca do zagueiro Osmar Guarnelli e uma saída atrapalhada do goleiro João Leite. Reinaldo, se desvencilhando de três marcadores, empatou de perna esquerda para o Galo em seguida. Ainda no primeiro tempo, aos 44 minutos, Zico colocou o Flamengo novamente na frente do placar: 2 x 1. Na segunda etapa, Reinaldo sofreu uma distensão na coxa direita, o que provocou uma reação ensurdecedora da torcida rubro-negra que berrava a plenos pulmões: "bichado", "bichado", "bichado". Mesmo contundido, Reinaldo continuou em campo, pois o Atlético já não podia fazer substituições. Até que, aos 21 minutos, depois de ótimo cruzamento de Éder, o Rei fez calar o Maracanã inteiro. Mesmo mancando, aparou com maestria o cruzamento de Éder com um leve toque e marcou o gol de empate do Atlético, decretando silêncio total da multidão no estádio. Não demorou muito e o árbitro José de Assis Aragão expulsou Reinaldo, deixando o Atlético em apuros. Aos 36 minutos, o centroavante Nunes recebeu ótimo lançamento pela esquerda, tentou o cruzamento, mas a bola tocou em Silvestre e retornou aos seus pés. Quando todos esperavam novo cruzamento, Nunes driblou o zagueiro para a linha de fundo e tocou por cima de João Leite, que, inexplicavelmente, se jogou no gramado antes da conclusão do atacante flamenguista, determinando a vitória do Flamengo e a conquista do título de Campeão Brasileiro de 1980. Para os rubro-negros, a glória, para nós, atleticanos, uma frustração e uma dor enormes. Pela segunda vez, o título nacional nos escapava entre os dedos.


Por muito tempo, o zagueiro Silvestre foi hostilizado e considerado culpado pela derrota, uma grande injustiça. Ele foi batido sim, pelo atacante adversário, mas em um lance normal de jogo, nada que justificasse a sua crucificação como o único culpado pela derrota. Um verdadeiro crime contra o rapaz, assim como o ocorrido com o goleiro Barbosa, da Seleção Brasileira de 1950. São as injustas e covardes faces do futebol, infelizmente. O vídeo abaixo mostra um pouquinho da sua história e da sua dor com o ocorrido.


O REI do Mineirão é o maior artilheiro da história do Atlético com 255 gols marcados entre 1973 e 1985. Com a camisa alvinegra, Reinaldo participou de 475 jogos, marcou seus 255 gols, obteve 289 vitórias, 113 empates e 73 derrotas. Como juvenil do clube, fez 54 gols em 44 partidas, no período de 1971 a 1973. Defendendo a camisa da Seleção Brasileira, Reinaldo atuou em 37 partidas, marcando 14 gols. Jogou a Copa do Mundo de 1978, na Argentina, onde marcou um gol no confronto contra a Suécia, na primeira fase. Pela Seleção Mineira, entre 1976 e 1984, foram dois jogos e um gol marcado.
Já sem a menor condição física para jogar futebol, em virtude das sequelas resultantes das lesões em seus joelhos, Reinaldo passou por Palmeiras, Rio Negro-AM, Cruzeiro, BK Häcken (Suécia) e Telstar (Holanda) sem sucesso. Pelo rival Cruzeiro foram apenas 2 partidas e nenhum gol.
Após o encerramento da carreira, Reinaldo passou por um período de trevas, quando se rendeu ao consumo de drogas. Mas com forte determinação e apoio da família, recuperou-se e voltou a orgulhar a imensa Massa Atleticana, no seu digno lugar de ídolo maior na história. 
Reinaldo não foi grande apenas nos campos de futebol, na encantadora arte de tratar a bola com requinte e destreza. Ele também foi grande na defesa das suas ideias políticas, corajoso a ponto de questionar a ditadura então vigente no país, contestando o poder com o seu tradicional gesto de braço levantado com o punho cerrado na comemoração dos seus gols, um aceno de protesto contra o sistema que lhe causou problemas e retaliações, entre elas a não participação na copa de 1982.
Sou suspeito para falar do Rei, já que o tenho como um dos meus maiores ídolos no esporte, ao lado de Pelé, Muhammad Ali, Zico e Lionel Messi.
Espero que o Rei da Massa Atleticana receba do Criador muita saúde, paz e clarividência para continuar essa sua caminhada repleta de desafios, dores e frustrações, mas também brilhante na arte de jogar bola e de ter proporcionado tamanha alegria aos seus súditos atleticanos espalhados pelo mundo, entre eles eu.
Vida longa e saudável, nosso REInaldo!
Um grande abraço espinosense. 


Títulos pelo Atlético:
Vice-Campeão Brasileiro: 1977 (Invicto) e 1980
Copa dos Campeões da Copa Brasil: 1978
Campeão Mineiro Invicto: 1976
Hexacampeão Mineiro: 1978, 1979, 1980, 1981, 1982 e 1983
Taça Minas Gerais: 1975, 1976 e 1979
Campeão Mineiro de Juvenis: 1971 e 1972
Campeão do Torneio dos Grandes de Minas Gerais: 1974
Campeão do Torneio Conde de Fenosa (Espanha): 1976
Campeão do Torneio de Vigo (Espanha): 1977
Campeão do Torneio Costa do Sol (Espanha): 1980
Campeão do Troféu Brasília 21 anos: 1981
Torneio de Paris (França): 1982
Campeão do Torneio de Bilbao (Espanha): 1982
Torneio de Berna (Suíça): 1983
Campeão da Taça Tancredo Neves: 1983
Torneio de Amsterdã (Holanda): 1984

Na Seleção Brasileira:
3ª Colocação na Copa do Mundo da Argentina: 1978
3ª Colocação na Copa América: 1975
Campeão da Taça da França: 1981
Campeão da Taça da Inglaterra: 1981

Prêmios:
Bola de Prata da Revista Placar (Artilheiro do Campeonato Brasileiro - 28 Gols - 1977)
Bola de Prata da Revista Placar (Seleção do Campeonato Brasileiro - 1977 e 1983)
Fonte: wikipedia.org







Decisão Campeonato Brasileiro de 1977
Atlético 0 x 0 São Paulo
Data: 5 de março de 1978
Local: Mineirão, Belo Horizonte
Público: 102.974
Árbitro: Arnaldo Cezar Coelho (Rio de Janeiro)

Nas penalidades: São Paulo 3 x 2 Atlético

Pelo Atlético:
Toninho Cerezo: Erro (fora)
Ziza: Convertido
Alves: Convertido
Joãozinho Paulista: Erro (fora)
Márcio: Erro (fora)

Pelo São Paulo:
Getúlio: Erro (defesa)
Chicão: Erro (defesa)
Peres: Convertido
Antenor: Convertido
Bezerra: Convertido

Atlético: João Leite; Alves, Márcio, Vantuir e Valdemir; Toninho Cerezo, Ângelo e Marcelo (Paulo Isidoro); Serginho, Caio Cambalhota (Joãozinho Paulista) e Ziza. Técnico: Barbatana.

São Paulo: Waldir Peres; Getúlio, Tecão, Bezerra e Antenor; Chicão, Teodoro (Peres) e Darío Pereyra; Zé Sérgio, Mirandinha e Viana (Neca). Técnico: Rubens Minelli.


Decisão Campeonato Brasileiro de 1980 - 1ª partida
Atlético 1 x 0 Flamengo
Data: 28 de Maio de 1980
Local: Mineirão, Belo Horizonte
Público: 90.028
Árbitro: Romualdo Arppi Filho (São Paulo)
Gol: Reinaldo (10 min segundo tempo)

Atlético: João Leite; Orlando (Marcus Vinícius), Osmar Guarnelli, Luizinho e Jorge Valença; Chicão, Toninho Cerezo e Palhinha; Pedrinho Gaúcho, Reinaldo e Éder Aleixo. Técnico: Procópio Cardoso.

Flamengo: Raul; Carlos Alberto, Rondinelli (Nélson), Marinho e Júnior; Andrade, Paulo César Carpegiani e Tita; Reinaldo, Nunes e Carlos Henrique (Anselmo). Técnico: Cláudio Coutinho.


Decisão Campeonato Brasileiro de 1980 - 2ª partida
Flamengo 3 x 2 Atlético
Data: 1º de junho de 1980
Local: Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 154.355
Árbitro:  José de Assis Aragão (São Paulo)
Gols: Nunes (7 min), Reinaldo (8 min) e Zico (44 min) do 1º tempo; Reinaldo (21 min) e Nunes (37 min) do 2º tempo.

Flamengo: Raul; Toninho, Manguito, Marinho e Júnior; Andrade, Paulo César Carpegiani (Adílio) e Zico; Tita, Nunes e Júlio César. Técnico: Cláudio Coutinho.
Atlético: João Leite; Orlando (Silvestre), Osmar Guarnelli, Luizinho (Geraldo) e Jorge Valença; Chicão, Toninho Cerezzo e Palhinha; Pedrinho Gaúcho, Reinaldo e Éder Aleixo. Técnico: Procópio Cardoso.
Apesar da igualdade na soma de resultados, o Flamengo foi campeão por ter obtido melhor campanha na semifinal (duas vitórias contra o Coritiba) do que o Atlético (vitória e empate contra o Internacional).

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

1654 - Espinosa precisa de nós todos!

Ano novo, vida nova! Será mesmo? A verdade nua e crua é que pouca coisa muda na nossa vida só porque terminou mais um ano no calendário e começou outro. É certo que a passagem de um ano para outro traz algumas poucas mudanças, sobretudo neste ano em que tomou posse nova administração na nossa cidade. Fora isso e poucas outras coisas, tudo indica que o statu quo vá permanecer inalterado no mundo, com muita briga pelo poder e matanças sem a menor piedade. Continuaremos seres humanos dependentes e frágeis, sendo enganados e manipulados pelos poderosos e a desigualdade social irá cada dia mais se intensificar, gerando mais injustiça, ódio e fome. Uma tristeza!
Mas a esperança se renova constantemente. Jamais podemos perdê-la. Como não acreditar no futuro quando você se depara com a linda imagem abaixo, captada no centro de Espinosa? Um garotinho protegendo um gatinho perdido nos trilhos da estrada de ferro emocionou-me profundamente. Tive a felicidade de registrar a cena e espero que sirva para que possamos refletir profundamente sobre a vida e sobre a necessidade de espalharmos amor pelo mundo.   


Bem, vamos falar do nosso Sertão em particular. Em Espinosa tivemos a posse do prefeito Mílton Barbosa, do vice-prefeito Nílson Faber, dos vereadores e dos integrantes da equipe que trabalhará na administração da cidade nos próximos quatro anos. Em meio a tantos problemas em que eles terão de apresentar soluções o mais rapidamente possível, fica a pergunta. Eles conseguirão sozinhos resolver todas as nossas necessidades ou é imprescindível que nós, cidadãos espinosenses, façamos a nossa parte, contribuindo com a cidade e dando a nossa colaboração pessoal e coletiva?
Parece-me que passou da hora de todos nós nos unirmos em favor da nossa terra. Muitos de nós temos belo discurso de amor à terra, mas na realidade pouco se doa em prol da cidade. Então, conterrâneos, chegou o momento de demonstrar o nosso amor por Espinosa. Vamos juntos, no dia a dia, mudar atitudes e realizar ações que, mesmo pequenas e simples, possam facilitar o trabalho da administração municipal na tarefa de fazer da nossa cidade um lugar mais limpo, mais gentil, mais desenvolvido, mais ético e muito mais gostoso de se viver.


Isso não quer dizer que não tenhamos de cobrar trabalho, retidão e ética dos nossos governantes e demais funcionários da prefeitura. Nada disso! Que sejamos apenas compreensivos e justos com as possibilidades de atendimento das nossas reivindicações. E que a transparência seja a prática corrente da gestão municipal. Tocando neste ponto, o da transparência e que é fundamental, quero aqui informá-los que o meu filho Renato está trabalhando no Hospital Risoleta Neves, ainda sem contrato firmado. Reivindicamos ao prefeito Mílton Barbosa que, se houvesse vaga em algum PSF, que ele, meu filho, estava disponível e à procura de um emprego. Como resposta, tivemos a informação de que as vagas dos PSF estavam preenchidas, sobrando ainda vagas no Hospital. E que havia vagas para o plantão do réveillon, naquele momento sem interesse de nenhum profissional. Convidado, Renato aceitou e ainda preencheu a outra vaga do plantão com uma amiga de Montes Claros, sua colega de graduação Kamilla. Ele assumiu a vaga existente no Hospital Risoleta Neves e encontra-se trabalhando atualmente, ainda sem a confirmação de permanência futura. Se der certo, ótimo. Se não, ficará o agradecimento sincero ao prefeito Mílton pela oportunidade. Tais informações se fazem necessárias para impedir fofocas e mal entendidos, infelizmente muito comuns em Espinosa.


Mas o que interessa mesmo é, não o que Espinosa pode fazer por nós e sim o que nós podemos fazer por Espinosa, afinal de contas a cidade é a nossa casa e dela devemos cuidar com muito carinho. Antes de ficar reclamando de tudo, criticando tudo, vamos fazer a nossa parte e contribuir com ações mínimas e efetivas para melhorar a nossa terra.
Então, que tal...
  • Se nós tratarmos com cuidado do patrimônio público, sem vandalismo de qualquer tipo, sem quebra de lâmpadas das praças e das ruas?
  • Se nós cuidarmos dos postes e placas de sinalização, sem destruí-los?
  • Se nós evitarmos pichações nos prédios públicos (e privados), destruição dos jardins e das cadeiras e abrigos das praças e ruas?
  • Se nós não jogarmos mais lixo nas ruas, acondicionando-o adequadamente e o colocando nos passeios apenas nos horários de coleta informados pela prefeitura?
  • Se nós não deixarmos material de construção e entulhos nas calçadas?
  • Se nós não deixarmos de murar e capinar nossos lotes vagos?
  • Se nós recolhermos o lixo produzido quando de nossos piqueniques e farras nos rios da cidade?
  • Se nós zelarmos pela observância da lei do silêncio, deixando de fazer barulho após o horário determinado, contribuindo para a paz dos outros moradores, sobretudo os idosos e doentes?
  • Se nós cuidarmos dos nossos rios, jamais os poluindo com lixo e detritos?
  • Se nós respeitarmos os nossos vizinhos e conterrâneos, mesmo adversários políticos, apreciadores de outro time ou outra religião, ou ainda de outra orientação sexual, tratando a todos com gentileza e respeito?
  • Se nós obedecermos a sinalização de trânsito?
  • Se nós não surrupiarmos merenda, material escolar, lixeiras e plantas, entre outras coisas, da prefeitura?
  • Se nós apoiarmos as decisões tomadas em prol do município ou de outra região ou comunidade, mesmo que não nos contemple em algum momento?
  • Se nós, ao invés de ficarmos vociferando impropérios contra a administração, nos apresentar com possíveis soluções para as demandas coletivas da comunidade?
  • Se nós ajudarmos a melhorar o clima e a aparência da cidade, plantando ou cuidando de árvores plantadas perto de casa e ainda cuidando dos nossos passeios e arredores das nossas casas, fazendo a varreção e a capina?
  • Se nós fiscalizarmos as ações dos funcionários municipais, denunciando eventuais maus tratos à população, ações de corrupção e desvio de recursos?
  • Se os servidores públicos municipais sejam eficientes, pontuais, gentis e competentes, tratando a população com toda a cordialidade, presteza e respeito?
  • Se os servidores públicos municipais tratarem com o maior cuidado as ferramentas, os veículos e demais patrimônios da prefeitura?
  • Se nós, cidadãos espinosenses, pagarmos em dia as nossas obrigações para com o município, tais como taxas, IPTU, ISS, IPVA etc?
  • Se nós participarmos das reuniões da Câmara Municipal, dando opiniões, apoiando as boas ideias e protestando civilizadamente contra os atos equivocados dos vereadores?  
  • Se nós lutarmos juntos pela Democracia e pela justiça social de todo o nosso povo?
Se você realmente ama Espinosa, faça a sua parte e passe essa campanha adiante. Vamos construir juntos a cidade dos nossos sonhos.
Um grande abraço espinosense.


O vídeo abaixo mostra imagens de como anda abandonada a nossa cidade, com muitos buracos nas ruas, pichações em prédios públicos, lixo nas ruas, instalações públicas vandalizadas, muito mato nos canteiros, veículos completamente destruídos, enfim, necessitando de muitos cuidados. E para compensar as más notícias, imagens da retomada das obras da ETE. Vamos mudar Espinosa, para melhor! Todos juntos! Eu acredito!


sábado, 7 de janeiro de 2017

1653 - Antônio Lincoln, Luana Camargo e Clarissa Gonçalves se formaram em Medicina

É impressionante o poder de fogo nos estudos do pessoal de Espinosa! Dia desses estávamos, alguns amigos, comentando a expressiva quantidade de jovens espinosenses que estão estudando ou já concluíram seus cursos de graduação, especialmente os de Medicina. E ontem, em mais uma missa de formatura, mais três jovens com ligações familiares com Espinosa, alcançaram tão grande conquista, todos pela Unimontes - Universidade Estadual de Montes Claros. São eles: Antônio Lincoln de Freitas Rocha, Luana Camargo Brito e Clarissa Gonçalves Silveira Barros. Isso é que é notícia boa e que nos traz um enorme orgulho!
Na celebração da missa de formatura realizada ontem à noite, sexta-feira, dia 6 de janeiro de 2017, na Igreja Nossa Senhora da Rosa Mística, em Montes Claros, tive o prazer de reencontrar pessoas queridas e admiradas, além dos familiares e amigos dos nossos formandos. Reencontrei, depois de longa data, o gerente do Banco do Brasil de quando eu tomei posse na agência de Espinosa, José Trindade Tolentino e sua esposa. Reencontrei também Seu Agostinho Tolentino Silveira e sua esposa, Dona Edith, minha primeira professora no Grupo Escolar Dom Lúcio, esta por quem tenho um carinho todo especial. Infelizmente não consegui uma fotografia ao seu lado, o que muito me honraria, mas a agitação do momento não me permitiu concretizar o ato. Conheci também, com muita alegria, o jovem Procurador espinosense, neto de Dona Nininha e filho do meu amigo e companheiro de futebol Jorge Murilo Tolentino Gonçalves, o Jorjão, competente funcionário da Emater e procedente da Rua da Resina, assim como eu.  
Quero pedir desculpas públicas às famílias de Luana e Clarissa por não ter conseguido dar a devida atenção a eles, inclusive registrando em fotografias as suas presenças. Eu não tinha conhecimento de que elas estariam se formando e fui à missa acompanhar o jovem Antônio Lincoln. Enquanto me confraternizava com ele e sua família, registrando o momento tão especial, o pessoal saiu e quando os procurei no adro da igreja já não pude encontrá-los. Mil perdões.
Quanto aos jovens formandos, Antônio Lincoln, Luana Camargo e Clarissa Gonçalves, os meus efusivos votos de muita realização, de muito sucesso e de muita felicidade na trajetória pessoal e profissional que se inicia. Que jamais percam a humildade, a generosidade, a dedicação, o carinho e o respeito por seus pacientes e que Deus sempre esteja ao seu lado, protegendo-os de todos os males e abençoando todos os seus atos. Parabéns a eles e a todos os familiares pela relevante vitória.
Um grande abraço espinosense.