Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

domingo, 21 de maio de 2017

1755 - Os heróis invisíveis em Montes Claros

Nada mais justo que grandes personalidades sejam homenageadas pelos administradores das cidades pelo seu brilhante trabalho em prol da comunidade. Muitos cidadãos respeitáveis tem o seu devido reconhecimento através da confecção de estátuas e bustos com seus corpos e rostos imortalizados em bronze, geralmente fincados em praças e avenidas das cidades. O triste é perceber que uma quantidade mínima da população sequer percebe a presença deles ali, muito menos ainda saber de quem se trata e o bem que fizeram pela comunidade, o que é uma tremenda falta de respeito às suas histórias de vida.
Com essa ideia na cabeça, não sosseguei até conseguir imagens de alguns desses senhores, espalhadas pela cidade de Montes Claros. E para meu desapontamento, muitas dessas esculturas encontravam-se vandalizadas, com aplicação de tinta, com fixação de parafuso e com o furto das placas de bronze que identificavam o homenageado. Uma tristeza!
Consegui identificar alguns desses dignos cidadãos que, certamente, para receberem tamanha glória, fizeram significativa diferença positiva na história da cidade de Montes Claros. São eles:

LINDOLFO LAUGHTON - O busto localizado na praça que leva seu nome, em frente ao Parque de Exposições e do prédio da Sociedade Rural, homenageia o fazendeiro que teve especial influência no desenvolvimento rural de Montes Claros.



BENECDITO VALLADARES - O busto localizado na Praça Doutor Chaves, bem em frente à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição e São José, presta homenagem ao odontólogo, advogado, jornalista e político mineiro nascido em Pará de Minas em 1892. Exerceu o cargo de vereador e prefeito em sua terra natal, foi governador de Minas Gerais, deputado federal e senador.
A razão para tão expressiva homenagem a Benecdito Valladares deve-se ao fato de que, durante a sua permanência no governo do estado de Minas Gerais, ele disponibilizou várias obras importantes para o desenvolvimento da cidade, tais como o abastecimento de água, o fornecimento de energia elétrica provindo da Central Hidrelétrica de Santa Marta, além de recursos para a construção da Praça de Esportes. 





CAMILO PRATES - A praça Doutor Chaves também é local de outro busto, do ex-prefeito Camilo Philintto Prates, que governou a cidade de Montes Claros no período de 1890 a 1892.



DR. SANTOS - Formado em Farmácia e posteriormente em Medicina, o Dr. Antônio Teixeira de Carvalho, homem culto e estudioso, vereador por vários períodos e prefeito da cidade entre 1937 e 1942, na verdade era conhecido como Santo ou Santinho, logo passando a Dr. Santos. Na sua administração conseguiu trazer para a cidade um sistema mais moderno de fornecimento de água, a energia elétrica e a construção da Praça de Esportes do Montes Claros Tênis Clube, esta última viabilizada com recursos próprios e do governo do Estado no ano de 1942. A Praça de Esportes foi de fundamental importância para a juventude da cidade, que passou a usufruir de um espaço espetacular para a prática de esportes e a socialização com a comunidade. Há uma rua o homenageando e a biblioteca pública que funciona no segundo pavimento do Centro Cultural Hermes de Paula também leva seu nome.




DR. CARLOS - Um busto do Doutor Carlos Versiani o homenageia no centro da mais movimentada praça da cidade e que tem o seu nome. O Doutor Carlos José Versiani nasceu em 20 de dezembro de 1819 em Bocaiuva, filho de Pedro José Versiani e Angélica Cláudia Penna. Casou-se com Gabriela Gertrudes de Oliveira Catta-Preta, com quem teve seis filhos. Faleceu em 18 de abril de 1903. Foi prefeito de Montes Claros durante dois mandatos, de 1852 a 1868 e de 1892 a 1894.





CEL. FRANCISCO RIBEIRO DOS SANTOS - Este busto instalado na Praça Doutor Santos, ou Praça da Matriz, tem o propósito de homenagear o Coronel Francisco dos Santos. Nasceu em 25-09-1873 e faleceu em 10-12-1923. Foi o responsável por dotar a cidade de Montes Claros de luz elétrica proveniente da sua Usina do Cedro, aposentando os velhos lampiões com iluminação de azeite.



FRANCISCO SÁ - O antigo sonho dos montes-clarenses de ver o trem chegar à sua cidade, só tornou-se realidade no dia 1º de setembro do ano de 1926, quando o então Ministro de Viação e Obras Públicas, o Doutor Francisco Sá, inaugurou a estação da Estrada de Ferro Central do Brasil, trazendo enorme progresso para a região norte-mineira. Francisco Sá era político, jornalista e engenheiro, nascido na atual cidade que leva seu nome, em 14 de setembro de 1862. Morreu aos 23 de abril de 1936. Sua estátua reina solene em grande pedestal na Praça Raul Soares, no centro de Montes Claros, em frente à velha estação ferroviária.   




DR. JOÃO ALVES - Na praça que leva seu nome, em frente à mais antiga escola da cidade, a Escola Estadual Gonçalves Chaves, e também conhecida como Praça do Automóvel Clube, descansa sobre um firme pedestal o busto do médico e político Doutor João Alves, esposo da famosa e polêmica figura da história de Montes Claros, Dona Tiburtina, personagem central do tiroteio ocorrido no dia 6 de fevereiro de 1930, quando opositores políticos se enfrentaram na praça e cinco pessoas foram assassinadas, virando assunto nacional.  



IRMÃ BEATA - A freira holandesa Wilhelmina Lauwen é, sem dúvida, uma das personalidades mais amadas pelo povo de Montes Claros. Nascida na cidade de Etten, na Holanda, em 29 de janeiro de 1879, a jovem ingressou na Congregação do Sagrado Coração de Maria de Berllar (Bélgica), no dia 14 de maio de 1903, aos 24 anos, recebendo o nome de Irmã Maria Beatriz ou simplesmente Irmã Beata. Em 1911 veio para o Brasil e se estabeleceu em Montes Claros, espalhando seu amor ao próximo por todos os cantos. Morou e trabalhou incansavelmente na Santa Casa durante toda a sua vida, fazendo partos e dando assistência aos mais humildes, com toda a força do seu coração abençoado. Faleceu em Belo Horizonte, em 8 de agosto de 1952.



DR. JOSÉ ESTEVES RODRIGUES - Essa estátua está localizada no canteiro central da Avenida Deputado Esteves Rodrigues, bem próximo do prédio da Prefeitura. Infelizmente, a estátua foi alvo de vandalismo, com aplicação de tinta vermelha, além de ter sido arrancada a placa. O homenageado, José Esteves Rodrigues, nasceu em Sete Lagoas (MG) no dia 16 de outubro de 1903, filho do contador Américo Esteves Rodrigues e de Maria Januária Maia Esteves Rodrigues. Estudou no Colégio Sete-Lagoano e no Ginásio Mineiro de Belo Horizonte, ingressando posteriormente na Escola de Agronomia de Minas Gerais. Entre os anos de 1935 e 1937, foi vereador em Montes Claros, liderando a oposição. Em 1938, bacharelou-se pela Faculdade de Direito de Niterói, então capital do Estado do Rio de Janeiro, onde também exerceu o magistério. Voltou a Minas em março de 1945. Filiado ao Partido Republicano (PR), tornou-se suplente de deputado constituinte em dezembro de 1945, assumindo o mandato em novembro de 1946. Assumiu, entre 1951 e 1955, o cargo de secretário de Viação e Obras Públicas de Minas Gerais no governo de Juscelino Kubitschek. Exerceu o cargo de deputado federal por Minas Gerais nos períodos de 1946-1951, 1952-1953 e 1955-1961. Era casado com Ana Lopes Rodrigues, com quem teve três filhos. Veio a falecer em Belo Horizonte no dia 29 de agosto de 1967.



CEL. LUIZ PIRES - Na Praça Robson Costa, bem em frente ao Chico´s Pizzaria e Churrascaria, está fincada a estátua que homenageia o empresário e industrial Coronel Luiz Pires.



JOSÉ CORREIA MACHADO - Esse monumento homenageia, na avenida que leva seu nome, o Doutor José Correia Machado. Nasceu em Montes Claros no dia 28 de outubro de 1933 e faleceu na mesma cidade aos 14 de fevereiro de 1999. Filho mais novo do casal José Corrêa Machado e Gabriela Prates Costa Machado, cursou o primário no Colégio Imaculada Conceição e o secundário no Ginásio Diocesano. Mudou-se então para Belo Horizonte e concluiu o Curso Científico no Colégio Marconi. Graduou-se no ano de 1961 em Arquitetura na Universidade Minas Gerais (UMG). Logo após, em 14 de julho de 1962, casou-se com Layce Costa Tourinho na Catedral de Montes Claros. Ao lado do irmão Décio Machado e do colega Fajardo Vasconcelos, todos arquitetos, criaram em Belo Horizonte a Construtora Casagrande. Mudou-se para Montes Claros em 1964 e assessorou, sem receber vencimentos, o então prefeito Antônio Lafetá Rebelo, o Toninho, elaborando o projeto da construção do Parque Municipal Milton Prates, além de participar ativamente da elaboração do Plano Diretor do município, que resultou na construção da Avenida Deputado Esteves Rodrigues, a Sanitária, ideia sua e do engenheiro Ivanildo Fragoso. No ano de 1988, candidatou-se a vereador e foi eleito. Posteriormente, foi Secretário de Planejamento da segunda administração de Jairo Ataíde Vieira, quando projetou a avenida que hoje o homenageia.



ALFREDO DE SOUZA COUTINHO - Esse busto, localizado no canteiro central da Rua Coronel Prates. no centro, faz homenagem ao advogado, educador e presidente da Câmara Municipal de Montes Claros no período de 1928 a 1931, o senhor Alfredo de Souza Coutinho. 




Um povo justo jamais pode se esquecer daqueles bravos cidadãos que construíram a história das suas comunidades. Assim, nada mais legítimo que seus feitos sejam eternizados em homenagens e que a população tenha acesso às suas realizações, para que recebam de todos o merecido reconhecimento. 
Um grande abraço espinosense.

Nenhum comentário: