Espinosa, meu éden

Espinosa, meu éden

segunda-feira, 3 de abril de 2017

1720 - Nossa irmã Urandi

Apenas 12 quilômetros nos separam. É só deixar o centro da cidade de Espinosa em direção ao bairro Ponte Nova, chegar ao trevo, virar à direita, pegar a estrada, passar pela Vila de Santana e atravessar a ponte do Rio Verde Pequeno. Aí já estaremos na Bahia, no território da pequena e aconchegante cidade de Urandi, nossa cidade irmã.
A história conta que tudo começou com a criação da Fazenda Santa Rita pelos cidadãos portugueses Antônio Fernandes Baleeiro e seu irmão José Fernandes Baleeiro, que aproveitaram um local privilegiado de águas entre os rios Raiz e Cachoeira para se instalar.
O nome Urandi, em tupi, significa madeira negrecenta e só veio após as denominações de Duas Barras, Santa Rita das Duas Barras, Santo Antônio das Duas Barras e Vila Bela das Umburanas, em 10 de agosto de 1918, pela Lei Estadual nº 1.276. O município é consideravelmente abençoado com a abundância de águas, com vários rios e as barragens do Estreito e da Cova da Mandioca, que permitem bom desenvolvimento da agricultura, da criação de gado, produção de leite e ampla produção da fruticultura. Os municípios limítrofes são: pelo Norte, Pindaí; pelo Sul, Espinosa (MG); pelo Leste, Licínio de Almeida e Jacaraci; e pelo Oeste, Sebastião Laranjeiras.
A cidade tem como destaques aos visitantes a Praça Luiz Gomes, a Igreja da Matriz, o Centro Administrativo Municipal, o Mercado Municipal Antonino Ezequiel Públio, o Fórum Conselheiro Jaime Baleeiro, o Hospital Municipal Padre Antônio Manoel da Rocha, o Colégio Municipal Luís Eduardo Magalhães e o velho prédio do Grupo Escolar. O Santo Antônio é o padroeiro da cidade, que conta com 16.466 habitantes, conforme o Censo 2010 do IBGE. A cidade é administrada atualmente por Dorival Barbosa do Carmo, prefeito (PP), e Valmir da Costa Dantas, vice-prefeito. O aniversário da cidade é comemorado em 12 de outubro.




Os urandienses são gente boa e educada, como pode-se notar em uma rápida caminhada pela Praça da Matriz. Quando estava passeando pela praça, fui cumprimentado por algumas pessoas que jamais tinha visto antes. Nada como receber um "bom dia!" acompanhado de um sorriso, ainda mais de um desconhecido. Tive a honra de conhecer pelo menos quatro figuras de destaque da cidade de Urandi. Doutor Dantas conheci pouco, mas esse pouco levou-me a admirá-lo profundamente. Uma pessoa maravilhosa, médico de elevado valor e de uma dignidade e bondade exuberantes. Atendia a todos sem distinção, mesmo aqueles que não podiam pagar. Lembro-me vagamente de um dia, ainda criança, ter sido levado a ele por minha mãe, para me submeter a um exame de saúde.
Outro urandiense ilustre é o excepcional advogado Doutor Caio Leão Gomes, que, indubitavelmente, é um dos melhores criminalistas que já vi atuar, algumas vezes participando como jurado.
Outro notável filho de Urandi é meu dileto amigo e colega de escola no Colégio Estadual Joaquim de Freitas, o juiz Geraldo David Camargo, que atualmente trabalha em Belo Horizonte.
E tem ainda outro relevante urandiense, o maior craque do futebol amador que vi jogar em toda minha vida. Trata-se de Kita, um senhor craque de futebol que encantou a mim e a todos os espinosenses nos bons tempos do futebol de Espinosa nos anos 70. E tem muitos outros grandes nomes, como o de Fred Dantas, o maestro multi-instrumentista, por exemplo. Para minha grata surpresa, descobri que o ex-árbitro de futebol e atual comentarista de arbitragem da ESPN, o Sálvio Spínola Fagundes Filho, é filho de Urandi, onde nasceu em 14 de setembro de 1969.
Interessante também perceber que vários amigos e conhecidos de Espinosa hoje trabalham em Urandi. Sânzio Sampaio, no Fórum; Carlos Eustáquio, na Drogaria União; Valdeci, nos Correios; Luciano Rodrigues, dentista; e há pouco tempo, Roberto Carlyle, o Quinha, no seu cartório.
Minha passagem por Urandi foi rápida, meio dia apenas. Depois de muitos anos distante, visitei a cidade e me encantei com a limpeza das ruas, os jardins bem cuidados e a sua ótima arborização. Espero retornar com mais tempo em breve para rever os amigos e os velhos companheiros e adversários de futebol, que enfrentei por tantas vezes, sendo sempre carinhosamente recebido. O meu muito obrigado e o meu carinho a todos os urandienses.
Um grande abraço espinosense.




Prefeitos de Urandi:

1918 a 1919 - Dr. Propércio Fernandes Baleeiro
1920 a 1921 - Major Crescêncio Pedro Rodrigues
1922 a 1923 - Coronel Otílio Soares de Carvalho
1924 a 1925 - Dr. Lauro Fernandes Baleeiro
1926 - Major José Guimarães
1927 - Dr. Rodolpho Fernandes Baleeiro
1928 - 1929 - Major José Guimarães
1930 - Capitão Hugolino Pereira Rodrigues
1931 - 1932 - Coronel Tiburtino Fernandes Cangussu
1933 - 1934 - Capitão Belarmino Fernandes Cangussu
1935 - 1936 - Olegário Guimarães
1936 - Nair Guimarães Lacerda
1937 - 1941 - Olegário Guimarães
1942 - 1945 - Dely José Fagundes
1946 - 1947 - Luís Gomes
1948 - 1949 - José Ferreira Santos
1950 - 1951 - Luís Gomes
1952 - 1954 - Jerônimo Borges
1955 - 1958 - Joaquim Ribeiro
1959 - 1962 - Luís Gomes
1963 - 1964 - Jesulindo Guimarães
1965 - 1966 - Benvindo Muniz
1967 - 1970 - José Ferreira Santos
1971 - 1972 - Diógenes Baleeiro
1973 - 1976 - Sebastião Alves Santana
1977 - 1982 - Antônio Gomes Bitone
1983 - 1988 - Sebastião Alves Santana
1989 - 1992 - Geraldo Dias de Santana
1993 - 1996 - Adonai Nina Rocha
1997 - 2000 - José Humberto Carvalho Rocha
2001 - 2004 - Adonai Nina Rocha
2005 - 2008 - José Humberto Carvalho Rocha
2009 - 2012 - José Cardoso de Oliveira
2013 - 2016 - Dorival Barbosa do Carmo
2017 - 2020 - Dorival Barbosa do Carmo

Fontes: historiadeurandi.blogspot.com.br, urandibahia.blogspot.com.br e ibge.gov.br

Um comentário:

Adalberto Castro disse...

Eustáquio, parabéns pela matéria. Você como sempre nos presenteando com essas maravilhas.
Saudades de Urandi.
"Um grande abraço espinosense!"